Franquias Mecanicas “Rio de Janeiro”

As máquinas de franquia mecânica no Correio Central

As máquinas de franquear foram autorizadas a funcionar a partir de 15 de abril de 1925 pela Circular n.17 E/1ª de 27 de março desse ano (imagem abaixo).

Machinas de Franqueamento (BP 02 mar1925)

A principal inovação é que elas dispensavam os selos postais, imprimindo em seu lugar, ao lado do datador,  uma estampa padrão com o valor do porte. No início eram utilizadas, como se lê na publicação acima, para “franquear a correspondência postada no Distrito Federal”.

Diversas agencias, bem como empresas, utilizaram máquinas franqueadoras. Logicamente, a administração do correio central coordenou a importação e distribuição dos equipamentos e realizando o controle do uso através da prestação de contas à Tesouraria, para o que as máquinas possuíam numeração individual e contador.

No carimbo datador era gravado o nome da agencia ou sucursal usuária, indicando assim o local da postagem, enquanto as instaladas em empresas eram identificadas pela inclusão de seu logotipo ou mensagem publicitária customizada. Estas últimas traziam “Rio de Janeiro” na legenda do datador, registrando assim a cidade de origem.

Para dar uma idéia, no ano de 1939 foram instaladas máquinas em 13 empresas, a saber: Linotipo do Brasil, Seguros Sul-America, Sinner & Co, Bayer, Usinas Nacionais, The Caloric Co, Ciba, MGM, Ingersoll-Rand, Banco Provincia do RG do Sul, Livraria Francisco Alves, Editora Guanabara e Kodak.

As franquias espúrias com legenda “Rio de Janeiro”

Podem ser encontrados no entanto alguns exemplares somente com a legenda “Rio de Janeiro”. Como explicar isso, se, desde o início da Republica até os anos 1960, não existiu nenhuma agencia na cidade com o nome “Rio de Janeiro”? Algumas hipóteses:

  1. Pode ter acontecido que máquinas com carimbo genérico  Rio de Janeiro tenham sido cedidas a agências por necessidade. Nesse caso, recomendava-se a utilização de carimbos regulares da agência em adição à franquia mecânica. Mostro abaixo exemplos de agencias que  seguiram o procedimento. Reforçando essa tese, nos períodos em que há uso de dois carimbos, não encontrei simultaneamente exemplares de franquia mecânica com o nome próprio das agencias. Assim, as falhas desse procedimento seria uma das razões da anomalia.
  2. franquias-mecanicas-duplo-carimboNo caso de empresas, pode também ter acontecido o fornecimento de máquinas sem a mensagem publicitária, caso em que os envelopes deveriam ser pré-impressos com o logotipo da empresa. Veja exemplos da Shell e Bastos de Oliveira S.A.

3. Uma terceira possibilidade seria o uso, nos primeiros anos, de algumas máquinas alocadas no próprio correio central, provavelmente na 2a. seção, encarregada das operações nessa época. Veja exemplos abaixo.

Note-se que somente a partir de 1971 surgem franquias com a legenda CENTRAL, ou AG.CENTRAL, apesar de oficialmente ela ter sido criada em 1962. Estes paulatinamente substituem os grafados Rio de Janeiro, sendo inclusive largamente utilizados por empresas.

Imagens

Para permitir uma visão de conjunto, ao final do menu “Agencia Central” apresento as imagens com a legenda RIO DE JANEIRO no datador.

Tipos de carimbos mecânicos franqueadores

Os carimbos franqueadores possuem diversas – diria quase inúmeras – variações. No menu Carimbologia – Carimbos Mecanicos eu apresento os tipos  da classificação proposta pelo filatelista Mario Xavier Jr. em seu livro Franquias Mecanicas Brasileiras. Note que na minha classificação de tipos eu utilizo, para simplificar, somente os 30 tipos básicos embora também apresente imagens de variações, ou subtipos, sempre que disponíveis. Quem tiver a oportunidade de consultar o livro de referencia, verá que o autor apresenta centenas de subtipos.

Para mais detalhes e descrição completa de tipos, visite “franquias mecanicas” no menu carimbologia

© 2016-2017 www.agenciaspostais.com.br (dezembro de 2017)