Apresentação

AGÊNCIAS POSTAIS DO RIO DE JANEIRO

Carta de apresentação:

Há anos pesquiso as agências postais de todo o Brasil e eis que surge Paulo Novaes, há pouco tempo, tratando das agências postais do Rio de Janeiro (Capital e Interior). Com talento, paciência, perspicácia e determinação, esmiuçou anuários postais, almanaques, mapas antigos e jornais de época à procura de respostas para as muitas vezes difíceis perguntas: Que agência é esta? Teria existido mesmo? Em que período? Num país sem memória, garimpar estas informações e consolidá-las é uma tarefa gigantesca. Alguns dirão:- mas já fizeram isto, este ou aquele pesquisador, até já foi publicado! Sim, mas não com a profundidade e a qualidade deste trabalho, que é único para o Estado do Rio de Janeiro.

Os poucos que se dedicam à Carimbologia sabem da dificuldade que é montar este enorme quebra-cabeças, driblar os nomes em duplicada, nomes repetidos anos depois do fechamento da agência, descobrir pequenas comunidades hoje desaparecidas, que teoricamente não teriam uma agência postal (mas tiveram…), viajar por estradas de ferro não mais existentes, com agências em suas estações ferroviárias e, mais recentemente, lutar para descobrir nomes de agências franqueadas que abrem e fecham rapidamente. Esta parte é, certamente, a mais prazerosa de todo o trabalho, pois o pesquisador simplesmente vaga pelo passado, fragilmente amparado por alguma referência, ás vezes um simples fragmento de papel com um selo e um carimbo postal.

Paulo Novaes comprova que a Filatelia é uma ciência auxiliar da História, além de ajudar, com suas agências (e seus carimbos) as demais classes filatélicas, principalmente a História Postal e a Filatelia Temática. Foram milhares de horas de pesquisas, anos a fio, para conhecer a complexa malha dos milhares de agências postais ora existentes, ou que já existiram, e que somente este trabalho revela ao público, ora disponibilizado na Internet.

Tive a honra e a satisfação de poder colaborar com o autor, não como eu gostaria, sem o tempo necessário para isto, mas trocamos muitas ideias altamente proveitosas, gerando muitas polêmicas (algumas ainda pendentes…) e isto ajudou em muito o desenvolvimento do trabalho. Poucos países podem contar com material dessa qualidade e a Filatelia Brasileira tem para com ele uma dívida de gratidão. Meus parabéns, Paulo – continue com suas pesquisas.

Geraldo de Andrade Ribeiro Jr.
Presidente da FEFIESP – Federação das Entidades Filatélicas do Estado de São Paulo