Bairros O-P

Localização das Agências Postais do Município do Rio de Janeiro

bairros-op1

HISTÓRIAS, CURIOSIDADES E IMAGENS DAS AGÊNCIAS

OLARIA

O nome do bairro deriva da olaria construída no bairro em 1821, que deu origem a várias cerâmicas. A Linha do Norte inaugurou a estação “Olaria” em 23 de outubro de 1886, trazendo importante impulso ao comércio local. A agência postal “Olaria” foi criada em 1913. Na rua Bariri fica a sede do Olaria Atlético Clube.

Carimbos do bairro de Olaria

mrj0116-olaria

OSVALDO CRUZ (ou OSWALDO CRUZ)

A origem do bairro está ligada à estação “Rio das Pedras” construída em 1891 pela EFCB. Posteriormente renomeada Osvaldo Cruz em 1917, em homenagem ao sanitarista recentemente falecido. É da mesma época a agência postal “Rio das Pedras” que acompanhou também a mudança de nome.

Carimbos do bairro Oswaldo Cruz

mrj0117-oswaldo-cruz

PADRE MIGUEL

Bairro da zona oeste, entre Bangu e Realengo, seu nome é uma homenagem ao benemérito padre espanhol Monsenhor Miguel Monchon. Falecido em 1947, nesse mesmo ano foi criado o bairro de Padre Miguel, desmembrado  de Realengo. Localizam-se no bairro duas escolas de samba, a Unidos de Padre Miguel e a famosa Mocidade Independente, do grupo especial.

Carimbos do bairro de Padre Miguel

mrj0117-padre-miguel mrj0117-padre-miguel-sul-america

PAQUETÁ (ILHA DE PAQUETÁ)

A ilha de Paquetá localiza-se na baía de Guanabara e pertence ao muncípio do Rio de Janeiro desde 1833, quando se separou de Magé. Sua agência postal é uma das mais antigas do município, tendo sido criada em 16 de agosto de 1841 (data NM). Ainda ativa, tem portanto 170 anos de existência. Faz parte do bairro um pequeno arquipélago nas proximidades, do qual faz parte a ilha de Brocoió, residência de férias do governador do Estado. Lugar aprazível e tradicional ponto turístico, Paquetá tem como curiosidade a proibição total de circulação de veículos motorizados.

 Carimbos do bairro de Paquetá

mrj0118-paqueta

PARADA DE LUCAS

Bairro da zona norte, vizinho de Duque de Caxias, seu nome deriva do proprietário das terras, José Lucas de Almeida, conhecido como Lucas. Cortado pela Linha do Norte (Leopoldina) desde 1886, Lucas solicitou que aí fosse costruída uma parada, que levou seu nome, provavelmente ao final dos anos 40. O bairro era famoso por abrigar a gráfica da revista Manchete, ponto obrigatório de visita dos convidados de Adolfo Bloch.

Carimbos do bairro de Parada de Lucas

mrj0119-parada-de-lucas

PAVUNA

Bairro da zona norte do Rio se situa às margens da canal da Pavuna, cuja retificação permitiu a ocupação de um terreno antes alagadiço. Faz divisa com o município de S. João de Meriti. os trilhos da  E.F. Melhoramentos chegaram à região em 1898 com a inauguração da estação de Costa Barros. Desta, partiu em 1910  Ramal Circular da Pavuna, com estações em São João de Meriti e na Pavuna, onde havia também um entroncamento com a EF Rio do Ouro. A agência postal é de 1872.

A Pavuna fez tambem parte da experiencia dos Correios ao implantar uma rede de agencia moveis. Ver tambem os bairros do Leme e de Laranjeiras. Abaixo, nota do jornal Correio da Manhã de 1971 onde se descreve o tema.

Carimbos da Pavuna

mrj0119-pavuna

PECHINCHA

No antigo caminho da Freguesia (atual avenida Geremário Dantas), no encontro das estradas do Tindiba e do Pau Ferro, surgiu, no início do século XX, uma localidade cujo nome popular era “Pechincha”. A denominação se referia a um mercado no qual se vendiam os produtos dos sitiantes da região, por um negociante “Pechincheiro”, que, por seus baixos preços, concorria com o comércio da Freguesia e Taquara (artigo do portal GeoRio).

Carimbos da Pechincha 

mrj0119-pechincha

 PENHA: ver página específica no menu

 PENHA CIRCULAR

As origens do bairro coincidem com a história do bairro da Penha. Seu nome vem da existência, no início da década de 1930, de uma linha circular destinada a permitir o retorno dos trens de subúrbios que vinham de Barão de Mauá. A linha circular da Penha foi desativada na década de 1940, sendo construída a estação de Penha Circular, que deu nome ao bairro (extraído do portal GeoRio).

Carimbos do bairro da Penha Circular

mrj0122-penha-circular

PIEDADE

Nasceu no ponto onde hoje fica a Igreja de Nossa Senhora da Piedade. Com a chegada do trem, vieram o progresso, mais moradores e um problema: o lugar ficou conhecido pelo nome da estação, Gambá. O nome foi dado por dom Pedro II, durante uma viagem. “No momento de expansão ferroviária do Império em direção à Zona Norte da cidade do Rio, o imperador resolveu fazer uma parada em uma região onde havia vários gambás. Por conta disso, o lugar ficou conhecido como Parada Gambá ou Estação Gambá”, explica o historiador André Nunes. Como o nome não agradava muita gente, uma moradora do bairro decidiu escrever uma carta para o diretor da EF Dom Pedro II. O texto era o seguinte: “Por piedade, doutor, troque o nome da nossa estaçãozinha”. O apelo acabou dando certo. O diretor respondeu: “Minha senhora, será feito. Será Piedade”. Ela gostou, e o bairro ficou assim, diz o historiador (ref. wikipedia). A estação “Piedade” é de 1873 e a agência postal, de mesmo nome, é de 1875 – nome que mantém até os dias atuais.

Carimbos do bairro da Piedade

mrj0123-piedade mrj0124-piedade

PILARES

Existem duas versões para o nome do bairro. Na primeira, o nome derivaria da “Venda dos Pilares”, devido a adornos de pedra destacados na edificação. Na segunda, o nome viria do largo do bairro, uma das paradas da Estrada Real de Santa Cruz (depois avenida Suburbana e, hoje, Av. Dom Hélder Câmara), onde havia pequenos pilares rodeando uma fonte d’água que serviam para amarrar os cavalos (extraido do portal GeoRio).

Carimbos do bairro de Pilares

mrj0124-pilares mrj0125-pilares

PORTUGUESA

Na região estava prevista, em 1961, a construção de um Jockey Clube. No entanto, o governo Janio Quadros estabeleceu severas restrições ao esporte, inviabilizando o projeto. A área foi então adquirida pela A.A. Portuguesa, que lá construiu seu estádio. A urbanização do bairro começou a partir desse evento, tendo grande expansão na década de 1970.

Carimbos do bairro da Portuguesa

mrj0125-portuguesa

PRAÇA DA BANDEIRA: ver página destacada no menu

PRAÇA SECA

Na antiga estrada de Jacarepaguá (atual Cândido Benício) existia o Largo do Asseca, homenageando o Visconde de Asseca. Em seu lugar, na década de 1890, surgiu uma Praça denominada 25 de Outubro, mas popularmente continuou sendo chamada Praça Asseca, daí vindo o nome “Praça Seca” como é designado atualmente todo o bairro (extraído do portal GeoRio).

Carimbos do bairro de Praça Seca

mrj0128-praca-seca

© 2012-2016 www.agenciaspostais.com.br (atualizado setembro de 2016)

Uma ideia sobre “Bairros O-P

  1. Meu caro amigo Paulo,
    Fiquei de boca aberta ao verificar como você expandiu seu site, agora a respeito das agências da cidade do Rio de Janeiro. Já copiei tudo para um pen drive, pois ainda estou sem poder usar a Internet, pois o meu Moden está divorciado do meu laptop e o Windows Internet Explorer brigou com ambos. Nada está funcionando direito e eu ainda não consegui arranjar um bom profissional para consertar o problema, que imagino ser de drives ou da linha do provedor. Paciência! Neste instante estou usando um computador do SESC da Tijuca, onde sou associado há mais de 40 anos. É um recanto encantador, com um clube para os associados maravilhoso, que possui piscina, biblioteca, salões diversos, cinema, teatro, enfim uma infinidade de atrações e como eu sou aposentado eu não pago absolutamente nada. Aliás, jamais paguei coisa alguma, pois isso é um privilégio para quem já foi comerciário e o dinheiro vem das contribuições sociais pagas pelos patrões. Maravilha. Para concluir, devo dizer que há uns 35 anos atrás eu organizei duas exposições filatélicas no salão nobre deste clube e que foram um sucesso, embora de tamanho modesto, pois tive a ajuda dos correios que me emprestaram os quadros e o SESC colocou toda a sua infraestrutura à disposição. Bons tempos aqueles.
    Por hoje é só, meus parabéns pelo seu belo trabalho. Continuo organizando minha coleção de carimbos do Estado do Rio de Janeir e espero estar com tudo pronto o mais breve possível, inclusive com as imagens das peças que compõem a coleção, que serão enviadas para você, tão logo eu consiga fazer o meu computador funcionar adequadamente.
    Abraços,
    Marlino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *