Comendador Levy Gasparian

comendador-levy-gasparian

MUNICÍPIO DE COMENDADOR LEVY GASPARIAN

povoado de Serraria remonta ao final do século XIX no município de Paraíba do Sul. Em 1938 a região passa a ser subordinada ao município de Três Rios. Em 18 de janeiro de 1955 é criado o distrito de Serraria, subordinado a Três Rios. Em 23 de dezembro de 1991 o distrito é emancipado formando o município de Comendador Levy Gasparian.

AGÊNCIAS POSTAIS

A Ferrovia

Agências da DR-RJ em território de mineiro, e vice-versa

A divisa norte do  município com o estado de Minas Gerais é o rio Paraibuna. A  E.F. Dom Pedro II vinha de Três Rios em 1874 margeando o rio e cruzando-o frequentemente. Várias de suas estações foram construídas à margem esquerda, em território mineiro, mas  ficaram desde sua criação subordinadas à DR-RJ. Estão nesse caso as estações-agência de Serraria, Paraibuna, Espirito Santo (Sobragi) e Cedofeita. Todas com agencias instaladas nas respectivas estações. Ao longo do tempo elas foram passando para a administração mineira – as respectivas datas estão indicadas na coluna “fechada” na tabela acima.

O caso inverso também ocorreu no período de 1948 a 1963, com subordinação de agências de Levy Gasparian à DR-JFA, com sede em Juiz de Fora. Estão nesse caso as agências de Afonso Arinos e Monte Serrat, assim como outras em municípios limítrofes tais como Sapucaia e Três Rios.

A tabela abaixo lista as estações no município e suas respectivas agencias. Mais detalhes sobre os dados podem ser encontrados no menu “Agencias Ferroviárias”.

FATOS, HISTÓRIAS E IMAGENS SOBRE AS AGÊNCIAS

ERJ 369 – Comendador Levy Gasparian

O Comendador Levy Gasparian, um visionário de origem armênia, adquiriu nos anos 1950 uma fazenda em Serraria. Nesse local construiu uma indústria têxtil, o Lanifício Alto da Boa Vista. Empreendedor, ele trouxe vários melhoramentos para a localidade e teve importante participação política. Em sua homenagem o distrito, e posteriormente o município, receberam o seu nome. Gasparian faleceu em 1972 e o lanifício fechou em 1997.


ERJ 370 – Barra Longa, estação (1912)
ERJ 371 – Afonso Arinos (1941)
ERJ 371A – AGC Afonso Arinos (2000)

Única estação à margem direita nesse trecho foi Barra Longa que foi inaugurada mais tarde em território fluminense, já no século XX;  posteriormente renomeada Afonso Arinos.


ERJ 372 – Registro de Paraibuna (1840)
ERJ 373 – Paraibuna, estação (1875)
ERJ 374 – Monte Serrat (1886)

No início de século XVIII foi construído o “Caminho Novo” [1] ligando a região das minas à Corte e facilitando o transporte do ouro lá extraído. Várias localidades se desenvolveram na região, destacando-se Santo Antonio de Paraibuna que em 1853 seria elevada à cidade e, em 1865, renomeada Juiz de Fora.

O nome Paraibuna designava toda a região, inclusive o rio que fazia a divisa com o Rio de Janeiro. À margem esquerda desse rio seria instalado o Registro de Paraibuna, local em que seria criada em 26.03.1840 a agencia homônima [3]. Na margem fronteira estava a povoação de Monte Serrat – daí o nome alternativo de Registro da Ponte do Paraibuna ou Passagem do Parahibuna. As duas margens eram interligadas pela ponte inaugurada em 1825.

Os ‘registros’ imperiais eram um equivalente à alfândega ou postos de fiscalização tributária. O local pode ser visto na imagem abaixo (fonte: Wikimapia 2018, com minhas anotações em vermelho).

com-levy-gasparian-registro-paraibuna

A última informação que possuo dessa agência está na licitação de malas publicada na imprensa com assinatura da 3a. secção do Correio Central em 27.05.1868. Em 28.09.1874 a EF D.Pedro II inauguraria a estação de Paraibuna, onde seria criada em 1875 uma nova agencia, possivelmente a sucessora daquela [2].

Monte Serrat

Na margem direita do rio, já desde o início do século XVIII, um núcleo populacional se organizava sob a invocação de Nossa Senhora de Monte Serrat. Com o progresso, conseguiriam em 1884 o predicativo de Freguesia e também em 06.11.1886 a transferência para sua sede da agencia que seria renomeada Monte Serrat. Curiosamente, seus carimbos manteriam a legenda “EST” (estação) até pelo menos 1928. Ver comentários na Linha 1, est. 1.91 anexo 1

***

Nota [1] a história do Caminho Novo está detalhada no menu História Postal, Vila da Estrela. Consulte aqui

Nota [2] como ilustração, apresento também uma carta (coleção do autor) selada no verso, postada em 11 de agosto de 1859 no Rio de Janeiro e endereçada a Albino de Cerqueira Leite no Regº do Parahibuna. Albino era de  família originária de Barbacena e um de seus irmãos, Pedro de Alcântara, foi presidente da Província de Minas Gerais entre 1864 e 1865. Importantes cafeicultores, possuíam fazendas em Simão Pereira e Matias Barbosa. Abaixo, detalhe do mapa de 1853 e fac-símile da carta.

Nota [3] a data é do colega Nova Monteiro. A imagem é do Relatório Ministerial do Império ano 1840 pag. 56 (Hemeroteca da BN)


ERJ 375 – Serraria (1861-1891)
ERJ 376 – Espirito Santo (1875 – 1881)
ERJ 377 – Cedofeita (1878 – 1886)

Estas três são agencias “mineiras” da linha cuja história está na matéria no alto da página sob o título “Agências da DR-RJ em território de mineiro e vice-versa”. As datas entre parênteses informam a criação e a transferência das agencias para a administração mineira.


© 2011-2021 www.agenciaspostais.com.br (atualizado em julho de 2021)

4 pensou em “Comendador Levy Gasparian

  1. Gosto de memorizar e me situar no mapa já que sou ciclista e vivo pedalando para diversos municípios… E as histórias de emancipação dos municípios e seus documentos são interessantíssimas! Parabéns por essa coleta de informações.

  2. Caro expedicionário, obrigado pelos comentários. Também já fui ciclista, pedalei muito minha Trek. Depois me aposentei…
    Conto com suas andanças para me mandar boas histórias para incluir no site. Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *