Linhas 12 e 13

INTRODUÇÃO
Linha 12 – EF Piraiense  &  Linha 13 – EF Santa Isabel do Rio Preto [1]

Em 1875 o governo concedeu autorização para construção da EF Santa Isabel do Rio Preto sendo seus estatutos aprovados em 1879. Partia de Barra do Piraí, importante entroncamento viário servido pela E F D. Pedro II, onde dispunha de plataforma própria um pouco adiante da estação.

Em 1881 era entregue o primeiro trecho até Paulo de Almeida passando por Ipiabas. Em 22 de novembro de 1883, com a presença do Imperador, a linha foi inaugurada até Conservatória. A estação em Santa Isabel do Rio Preto, estação terminal, foi aberta em 6 de abril de 1886 com o nome de Joaquim Mattoso. Por outro lado, parece ter sido construída longe da agencia (que já existia há 33 anos) pois há uma licitação de linha de malas entre a estação e a agencia para o ano de 1889 (que já existia há mais de 30 anos). Por que uma linha de mala? Por que um nome diferente da localidade?  A estação só seria renomeada Santa Isabel do Rio Preto pela E F Central do Brasil em 20.1.1935

Um fato relevante é publicado em 21 de setembro de 1889 comunicando a venda da linha de Santa Isabel para a Companhia EF do Sapucahy “que assumirá o tráfego” a partir de outubro. Essa companhia havia sido criada em 1888 em Minas e tinha ambiciosos projetos de expansão. Para tanto, formou-se nova empresa a VRF – Viação Ferrea Sapucahy em 12 de fevereiro de 1891.

Na mesma época, a VRF adquiriu também a linha 12 – EF Piraiense (ou EF de Santana, que ligava Barra do Pirai a Passa Três passando por Pirai). As duas ferrovias seriam interligadas com a permissão em 6/4/1891 do uso de faixa paralela à EFCB. Mais tarde a linha de Santa Rita a Passa-Tres será conhecida por Linha da Barra, mas projeto de prolongamento até o litoral foi abandonado.

Após essas importantes modificações no controle acionário, houve a decisão de prolongar para o norte a linha de Santa Isabel até Santa Rita do Jacutinga (MG), onde se entroncaria com a EF Sapucahy que vinha de Minas. Para isso era necessário construir uma ponte ferroviaria sobre o rio Preto, no local denominado Ponte de Zacarias, obra que só foi concluída em 1892. A estação de Santa Rita do Jacutinga entrou em operação em 15 de abril de 1893, conforme publicação da tabela de horários da ferrovia.

Por sua vez, a VRF seria absorvida pela Rede Sul-Mineira em 1910 e esta, juntamente com a EF Oeste de Minas (linha 16 deste trabalho), formariam em 1931 a RMV – Rede Mineira de Viação.

A Linha da Barra foi desativada em 1961.

Nota [1] Veja o artigo “A Ponte do Zacharias” neste site trata em detalhes as duas ferrovias, sendo o texto aqui publicado extraído daquele artigo (ainda em obras)

Linha 12 – Estrada de Ferro Piraiense

Correio Ambulante

Não tenho conhecimento de carimbos ambulantes na linha 12.

Agencias Ferroviarias

A estação Sant’Anna em Piraí, ponto inicial do trecho original da linha, estava localizada em frente à outra estação Sant’Anna em Barra do Piraí, esta mais antiga e mais importante por ser parte da linha do Centro. Essa história está contada em detalhe na página do munícipio de Pirai.

A efetiva construção do trecho Passa-Tres à S. Sebastião é controversa. Neste caso, acompanhei o texto do livro de H. Suêvo [2].

Nota [2] A Formação das Estradas de Ferro no Rio de Janeiro, Helio Suêvo Rodrigues, 2004.

 

Linha 13 – Estrada de Ferro Santa Isabel do Rio Preto

Correio Ambulante

Imagens

 

Agencias Ferroviarias

Nota [1] Veja o artigo “A Ponte do Zacharias” neste site trata em detalhes as duas ferrovias, sendo o texto aqui publicado extraído daquele artigo (ainda em obras)

©2014-2020 agenciaspostais.com.br rev out. 2020