Linhas 44, 46 e 47

As linhas 44, 46 e 47 têm em comum serem ramais da E F Macaé e Campos (a linha 45 foi consolidada na 43).

Linha 44 – Ramal de Glicério ou Estrada de Ferro Central de Macaé.

Não lhe conheço serviço ambulante.

Agencias Ferroviárias

Como se vê no mapa de 1892, o projeto previa a extensão da ferrovia até Conceição do Frade, ao pé da serra de mesmo nome. No entanto, após a entrega da estação do Glicerio a companhia foi em 1901 oficialmente dispensada do trecho. O que é curioso, pois uma agencia postal “Frade” já havia sido instalada naquela localidade na mesma data que as demais agencias da linha.


 

Linha  46 – Ramal de Santa Maria Madalena ou Estrada de Ferro Barão de Araruama  &
Linha 47 – Ramal de Manoel de Morais

As duas linhas são naturalmente imbricadas e portanto as descreverei em conjunto. O objetivo inicial era interligar as linhas Macaé e Campos (linha 43) com a de Cantagalo (linha 35). O projeto está marcado em vermelho no mapa de 1892. Na realidade, de 1878 a 1897 vários trechos foram construídos e anotados em verde no mapa com base no mapa de 1953 mais recente.  Ver detalhes mais abaixo.

Correio Ambulante

Como se nota, o serviço abrangia as linhas 46 e 47 ou alguns trechos.

Imagens dos carimbos

Agencias Ferroviárias

Autorizada em 1876, a Cia. E. F. Barão de Araruama inaugurou o primeiro trecho até Triunfo em 1879. Nova licitação foi aprovada em 1889 com a Cia. EF Santa Maria Madalena, que entregou em 1891 o trecho até Trajano de Moraes (na verdade, ainda se chamava Ventania). De Trajano partiu o chamado sub-ramal de Santa Maria Madalena com autorização de lei de 1887. O ramal foi entregue em 1890.

Muitas dificuldades levaram a uma revisão do contrato que, aprovado em 1894, permitiram a construção do ramal que passava por Visconde do Imbé [1] e chegava a Manoel de Morais em 19/04/1897. Curiosamente, a agencia postal de Visconde de Imbé foi criada 4 anos antes da inauguração de sua estação.

A Leopoldina Railway assumiu a ferrovia e decidiu não interliga-la à Cantagalo, autorizada pela Camara dos Deputados estadual em 1894.

Nota [1] nota-se no mapa de 1892 que no local da futura estação de Visconde do Imbé (1896) a grafia é “Aurora” [2]. O local tem esse nome devido à fazenda de mesmo nome existente no local, uma das mais importantes da região. Aurora chegou a ser sede do município [3] de 1919 a 1923 (IBGE). Não tenho registro que a estação tenha  tido esse nome inicialmente, nem tampouco a agencia postal. Vale ainda dizer que Visconde de Imbé é o título de José Antonio de Moraes, fazendeiro falecido em 1890 e pai de Trajano de Morais.

[3] São Francisco de Paula

O mapa de 1892 também destaca a importância de São Francisco de Paula pelo corpo da letra com que o grafa. Não é para menos, este era o nome do município criado em 1891 originado da freguesia de mesmo nome existente nesse local desde 1846. O município será renomeado Trajano de Morais em 1938, por razões que detalho no artigo sobre municípios extintos em História Postal, neste site. Clique para ver.

Nota [2] não confundir com a homônima estação Aurora da EF Paulista em SP inaugurada em 1889 e também com agencia de correio.


© 2014-2020 agenciaspostais.com.be. Rev. out 2020