Linhas 52, 53 e 54

A linha 52 – Campos a Miracema simplesmente se refere ao conjunto das linhas 53 (campos a são Fidélis) e 54 São Fidelis a Miracema (ou EF Santo Antonio de Padua). De fato, conhecemos carimbos ambulantes Campos-Miracema, mas não os conhecemos nas outras duas linhas individualmente.

Linha 52 – Correio Ambulante 

LInha 53 – Campos a São Fidelis e Linha 54 – Estrada de Ferro Santo Antonio de Pádua (S. Fidelis a Miracema)

Agencias Ferroviárias

O mapa abaixo mostra ambas as linhas. No extremo esquerdo nota-se o Ramal de Paraokena que cruza a divisa e faz conexão em Itapiruçu (MG) com a linha de Manhuaçu da qual falaremos novamente na Linha 55 em Porciúncula.

Para falar das agencias ferroviárias, bem como das estações, copio abaixo o texto original bem detalhado que está no município de São Fidelis e que abrange as duas linhas.

Cia Estrada de Ferro Santo Antonio de Pádua teve aprovada em 1879 a concessão de uma ferrovia ligando São Fidélis a Miracema. O primeiro trecho foi inaugurado em 14 de janeiro de 1880 ligando as estações de S. Fidélis e Três Irmãos (atual Cambuci), tendo atingido Santo Antonio dos Brotos (atual Miracema) em 1883.

A estação de Lucca (inaugurada como São Fidelis e renomeada depois)

O traçado seguia pela margem esquerda do rio Paraíba sendo sua estação inicial construída em frente a São Fidélis, no distrito de Ipuca, próxima ao atual bairro de Cristo Rei [2]. A falta de uma ponte obrigava os viajantes à travessia do rio em canoas para chegar a São Fidélis; a rampa de desembarque na cidade ainda existe junto à rua Euclides da Cunha [3].

Essa estação, inaugurada em 09/05/1880, recebeu inicialmente o nome Estação Central de São Fidélis. No entanto, como veremos a seguir, a Cia EF Macaé e Campos havia ganho em 1876 a concessão de uma estrada de Campos a São Fidélis. Essa mesma Cia  compraria em 1884 a  EF S. Antonio de Padua e, já com intenção de interligá-las, alterou seu nome para Lucca em setembro de 1885 [4]. O nome era uma homenagem ao Frei Angelo de Lucca, um dos fundadores da matriz de São Fidélis [5].

Historia Postal:  uma agência postal foi criada na estação em 1880 e está registrada como “Estação Central da E.F. de São Fidélis” no primeiro guia em que aparece [6]; somente em 1887 seria renomeada Lucca [7]. Outras agências seriam instaladas nessa linha nas estações de Coqueiros (atual Pureza, 1883), Grumarim (1898) e Timbó (1902).

A estação definitiva de São Fidelis

Em 1876 a Cia. EF Macaé e Campos obteve a concessão para a construção da Estrada de Ferro Campos a São Fidélis pela margem direita do rio. A obra começou em 1882 e, após muitos atrasos, foi aberta ao tráfego em 1º de agosto de 1891 [8]. Vale registrar alguns esclarecedores trechos de matéria publicada na imprensa em 1891 sobre a inauguração da ponte sobre o rio Paraíba em 24 de agosto de 1891 [9]:

 “Às 11 e meia da manhã partiu desta [a cidade de Campos] para a cidade vizinha o expresso (…) que chegou à 1hora da tarde à S. Fidelis (…) A ponte, que liga a EF de Campos a S. Fidelis com a de Santo Antonio de Padua, é uma das mais importantes deste paiz (…) com 500 metros e dividida em 8 vãos (…) Foi empreitada pelo dr. Joseph Lynch, começaram a assental-a em 13 de agosto de 1890 e terminada em 19 do corrente (…) Feitos os testes [de carga] teve logar a passagem do trem conduzindo senhoras e cavalheiros ao lado do Norte, estação de Lucca, donde regressou às 6 horas da tarde à S. Fidelis.” 

Trata-se da famosa “Ponte Metálica” de São Fidelis, hoje atração turística recém-reformada. Duas informações preciosas: a ponte interligou ambas as ferrovias e construiu o pequeno trecho até a estação de Lucca, que, como vimos no capítulo anterior, era ponto final da EF Santo Antonio de Pádua. Ambas as ferrovias já tinham sido adquiridas em 1890 pela Cia. Leopoldina. Esta também construiu uma nova estação no centro de São Fidelis cujo prédio existe ainda hoje, embora desativado [10]. Imagem abaixo.

Logicamente, esta estação substituiria a antiga Lucca, que foi desativada em 4 de dezembro de 1891 [11]. A Cia. Leopoldina concretizaria portanto o projeto de integração previsto pela Cia. Macaé e Campos.

Mais tarde, uma nova ponte a montante (conhecida localmente por Ponte Preta) seria construída trazendo um melhor traçado à ferrovia unificada e assim desativando todo o trecho onde estava a antiga Lucca. Não encontrei nenhum vestígio dessa estação.

Historia Postal:  São Fidélis já possuía agencia postal há tempos, criada em 16 de novembro de 1933. Na nova linha, foram criadas duas agências: em 1892 na estação Boa Vista ainda em Campos (depois Javarena) e na estação Ernesto Machado em 1909. Vale registrar em especial a história de Lucca. Como vimos, a agencia nasceu em 1887 e também que a estação foi extinta em 1891. E a agencia? Por incrível que pareça, a agencia continuou a funcionar pelo menos até 1940, conforme atesta o registro desse guia postal. Minha hipótese é que a agencia foi realocada em Ipuca, que já na época era distrito de S. Fidelis. Corrobora essa tese a matéria na imprensa que registra a reabertura da agência de Ipuca em 10 de dezembro de 1948 “que fora fechada há tempos, sem motivo justificado” [12]. Como não existe registro anterior de agencia “Ipuca” (ou Ypuca), entendo que a própria Lucca seria a antecessora citada.

Notas e informações:
[1] https://arisp.files.wordpress.com/2009/10/relatorio-ministro-imperio-1854.pdf
[2] fonte: matéria Bairro Cristo Rei de Nelzimar Lacerda no site de São Fidelis
[3] fonte: matéria A importância das ferrovias de Aurênio Pereira Carneiro no site de São Fidelis
[4] Matéria no Monitor Campista, 1 de setembro de 1885  (imagem Hemeroteca da BN)
[5] conforme inscrição da lápide no consistório da referida Igreja.
[6] Tabella das agencias do correio do Imperio (Ministério da Agricultura, 1885)
[7] Relatório Postal de 1887, pagina 85.
[8] Informações do livro de Helio Suêvo A Formação das Estradas de ferro no Rio de Janeiro publicado em 2004.
[9] A Republica ed. de 28 de agosto de 1891
[10] Estação de São Fidelis, imagem atual no Google Maps Street View
[11] Nota no Monitor Campista de mesma data: “Foi supprimida a estação de Lucca na linha de Pádua“.
[12] Nota no Correio da Manhã, edição de 30/12/1948 (imagem abaixo); a data do dia 10 está mencionada em nota do monitor Campista da mesma data.

©2014-2020 agenciaspostais.com.br rev out/2020