Macae

macae

MUNICÍPIO DE MACAÉ

A vila de São João de Macaé tem origem antiga, tendo sido constituída já em 29 de julho de 1813, com território desmembrado de Cabo Frio e Campos dos Goytacazes. O município de Macaé foi criado no ano seguinte, em 25 de janeiro de 1814. A sede do município, Macaé, foi elevada à cidade em 15 de abril de 1846. É tambem notavel o numero de agencias postais registradas ao longo da história: nada menos de 44, sendo 13 ativas. A agencia central é uma das mais antigas, criada em 1824. O nome de batismo, Macahe, deriva do rio de mesmo nome, de origem indigena, que significa rio dos bagres.

AGÊNCIAS POSTAIS

FATOS, HISTÓRIAS E IMAGENS SOBRE AS AGÊNCIAS

Macaé

Município de colonização antiga, Macaé teve sua agência criada ainda em tempos pré-filatélicos, em 13/11/1824 (data ref. NM), mas já na condição de município emancipado.

Posteriormente, tornou-se importante porto e entroncamento ferroviário, com a construção do trecho Macaé a Campos em 1874, da Linha do Litoral em 1888 e do ramal do Glicério em 1891. Nesses traçados originaram-se diversas agências do município. A imagem abaixo é de 1958 (fonte: IBGE).

Entroncamento de Macaé (c) (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1958).


Sana

Embora a imagem de Macaé esteja hoje associada ao mar e à exploração de petróleo, vale registrar que o município possui um extenso território junto à região serrana do estado do Rio. Aí se destaca a vila de Sana, associada a esportes ao ar livre, com suas inúmeras cachoeiras, entre as quais a registrada na imagem abaixo. O mapa acima ajuda também a visualizar a portentosa bacia hidrográfica do rio Macaé (local de Sana nº17 no mapa do alto). 

sana


Nossa Senhora das Neves (agencia ERJ 590 – ascenção e queda)

macae-1892-mapa-politico

A Freguesia de NS das Neves data de 1830. A importância histórica da localidade pode ser avaliada no mapa de 1892 acima (IHGB), já com a indicação das ferrovias. É a segunda mais importante povoação, logo depois de Macaé. Não por acaso, pois em 24 de fevereiro de 1891 Neves conheceria seu apogeu, ao ser elevada à Vila, desmembrando-se de Macaé. Glória efêmera, pois um ano depois, em 29 de abril de 1892, ela seria extinta e Neves retornaria a distrito em Macaé. Sua localização, no entanto, causou sua lenta decadência. Em 1938 seria renomeada Iriri e, em 1964, a sede do distrito seria transferida para a Vila de Córrego do Ouro, mais próspera e também localizada na área do antigo distrito. A agencia postal, quase centenária, seria fechada nessa época.


Santana de Macabu e Cabiunas (ERJ 585 a ERJ 588)

Introdução

Não encontrei o topônimo “Santana de Macabu” (na grafia da época Sant’Anna de Macabú) em documentos históricos ou geográficos. Em contraste, a referencia a uma agencia com esse nome na literatura postal é relativamente extensa e na ferroviária há também informações sobre uma estação “Sant’Anna”. Sobre estas discorrerei a seguir.

1832: a primeira referência

A primeira referência que conheço está no relatório “Agencias do Correio do Imperio” publicado em 1885 [1], que traz as datas de suas criações e dados de 1880 a 1884. Imagens da capa e da página onde consta a agencia:

Esse relatório, que apresenta dados normalmente bastante confiáveis, lista a “freguesia de Sant’Anna de Macabú” com agencia de 3ª classe criada em 1832. Isso a classificaria como uma das mais antigas agencias do estado. Tenho ressalvas com essa informação, pois não há outro registro dessa agencia ou dessa localidade em documentos da época. Por exemplo, ela não consta do Diccionario geographico, historico e descriptivo, do imperio do Brazil publicado em 1845 [2], nem do Guia Postal de 1856 [3] – nesse último, seja como agencia ou como localidade.

1875: a data de criação da agência

De fato, a primeira menção a uma agência só viria a aparecer no artigo de 1958 na revista Brasil Filatelico de autoria do colega Itamar Bopp [4]. Nesse artigo, ele relaciona as agencias do estado do Rio ativas em 1875, entre elas “Sant’Anna do Macabú”. Essa é a data que adotei no site (ERJ 585). É claro que a agencia pode ter sido criada antes, mas não consegui a informação.

Nota: nesse mesmo verbete, o autor aponta o local como freguesia e informa a data de sua criação pela lei provincial n° 517 em 4 de maio de 1850. Teria sido uma ótima referência mas, infelizmente, houve um engano do colega, visto que a referida lei trata de fato da criação da freguesia de Santana do Japuíba, no município de Santo Antonio de Sá, atual Cachoeiras de Macacu [5].

Por outro lado, faz sentido a existência de agencia em 1875, uma vez que a estação no local foi inaugurada poucos meses antes, conforme veremos a seguir.

1874: a EF Macae e Campos  e a estação Sant’Anna

A inauguração do segundo trecho da EF Macae e Campos (Macaé-Santa Fé de Macabu) aconteceu em 10.10.1874 [6]. A primeira menção à estação encontrei no documento Nomenclatura Corographica de 1878: “Estação de Santa Anna, EF Macahe e Campos” [7]. O mesmo verbete aparece no Guia Postal de 1880 [8].

Os mapas que apresento abaixo indicam o local da estação Sant’Anna nessa linha. Note que, no primeiro, Macahe e Carapebus têm anotação de cidade, enquanto S. Anna de estação. O mesmo acontece no de 1892. Esse local no futuro será o da localidade de Cabiunas como veremos a seguir. Note ainda que nesse mapa aparece a freguesia de Barreto, futuramente sede de distrito, como veremos adiante.

Qual teria sido a razão da escolha desse local para estação?

Mapa postal de 1888 Diretoria dos Correios (imagem BN)

Mapa 1892 Laemmert & Cia (imagem IHGB)

1892: a estação de Cabiúnas

Em 14 de setembro de 1892 a Leopoldina publica aviso de renomeação de uma série de estações, inclusive a de Sant’Anna para Cabiunas [9]. Como já encontrei Cabiunas citada nas linhas de malas do Relatório Postal de 1893, é de se supor que a agencia tenha acompanhado a mudança da estação. O Guia Postal de 1906, muito detalhado, confirma no verbete Sant’Anna de Macabu “vide Cabeunas” e neste, “antiga Sant’Anna de Macabu”.

Conclusões e situação atual

Como se deduz pela nomenclatura ferroviária, a localidade deve ter se chamado originalmente Sant’Anna (embora, repito, dela não tenhamos nenhum documento). Por ser um nome muito comum, os Correios, para diferenciá-la ao criar a agência, devem ter adicionado ao nome o aposto “de Macabu” – comum na região. Como vimos, a partir de 1892 a estação adotou o nome de Cabiúnas enquanto a agencia ainda retornou ao nome original por algum tempo até que em 1916 alinhou definitivamente seu nome ao da estação. A agencia existiu até 1978, última vez que constou em um Guia Postal.

O IBGE nos informa que em 1857 na região foi criado o distrito de São José do Barreto (nº7 no mapa), renomeado Cabiúnas em 1939 (nº9) e Barra de Macaé (nº6) em 1969. Em 1998 o distrito foi extinto e hoje o local abriga uma zona industrial ligada ao setor petrolífero.

Tabela resumo

Notas e informações

[1] Tabela de agencias do Império publicada em 1885. Organizada pela Fefibra.
[2] Por J. O. R. Milliet de Saint-Adolphe, publicado pela Casa J. P. Aillaud Paris, 1845
[3] Administração e Agencias do Brasil em 1856 publicado no Rio de Janeiro por Nicolau Lobo Vianna & Filhos.
[4] Artigo “Correios na Província do Rio de Janeiro” publicado no Brasil Filatelico nº118 em junho de 1958 pelo filatelista Itamar Bopp. Nesse artigo, Bopp apresenta uma lista das 92 localidades que possuíam agencias postais ativas no ano de 1875. Em cada uma delas, o autor aponta a data da criação da localidade e o respectivo documento oficial.
[5] Lei nº 517, de 4 de maio de 1850 – Art.1º O arraial de Sant’Ánna termo de Santo Antônio de Sá, é erecto em freguezia, com a mesma denominação. Art.2º O território da nova freguezia será desmembrado do da freguezia da Santíssima Trindade, e terá os limites que forem marcados pelo Presidente da Província, com approvação da Assembleia Legislativa Provincial. Art.3º A nova freguezia ficará pertencendo ao município de Santo Antônio de Sá, servindo-lhe de matriz a capella de Zózimo Ferreira da Silva, que para esse fim cede. (JUNIOR, Desidério Luiz de Oliveira. Estado do Rio de Janeiro – Legislação sobre os municípios, comarcas e distritos 1835 – 1925. Rio de Janeiro: Typ. do Jornal do Commércio, 1926). Citado por Vinicius Maia Cardoso em seu artigo sobre Cachoeiras de Macacu (2016).
[6] Materia no Diario do Rio de Janeiro, edição de 14 de outubro de 1874.
[7] Nomenclatura Corograhica do Imperio do Brazil. Annexo -A- da Guia Postal. Typographia Nacional, Rio de Janeiro 1878.
[8] Guia Postal do Imperio do Brazil – Publicação Official – Typographia Nacional, Rio de Janeiro 1880.
[9] Nota da “Cia. EF Leopoldina” de 14 de setembro de 1892 publicada em O Paiz, ed. de 15/9.

Cachoeira de Macae ou Cachoeiros ERJ 605 e 606

Como toda cidade “cachoeira” também é conhecida por Cachoeiras de Macaé ou Cachoeiro de Macaé. Tenho um único exemplar, de 1896, que destaco da coleção. Note que a legenda inferior reza “(EST.)”. Como é possível ter estação, já que se trata de uma localidade que nunca foi servida por ferrovia (nº 18 no mapa superior)?

A imagem seguinte é do Guia Postal de 1906, o mais próximo da data do carimbo em questão. Vê-se que a mala vem pela Leopoldina até Rocha Leão e segue ao destino por estafeta. Seria um posto avançado na estação? Não faz sentido, pois Rocha Leão tem sua própria agencia desde 1888 (ERJ 1120). O caso não é o único no estado, uma vez que Córrego da Prata no município de Carmo apresenta a mesma situação (ERJ 362). Mistério.


Carimbos de Macae

carimbos-mecanicos-obliteradorescar0011-obl-macae

© 2011-2018 www.agenciaspostais.com.br (atualizado ABRIL de 2019)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *