Bairros de Niteroi

Esta é a terceira aba de Niterói neste site; a primeira registra a origem do município e a segunda os carimbos da Agencia Central da cidade. Nesta, apresento as 92 agencias dos bairros da cidade, ou seja, praticamente todas, com exceção da Agencia Central.

Segundo o verbete Lista de Bairros de Niterói da Wikipédia, o município está dividido em 52 bairros, apresentados no mapa abaixo.

Segue a lista das agencias do município, que serão descritas a seguir.

REGIÃO CENTRAL (1 no mapa ao topo da página)

ERJ 725 – Filatelica de Niteroi

ERJ 726 – Forum de Niteroi

ERJ 728 – ACF Arariboia

ERJ 729 – ACF Botto de Barros
ERJ 729A – AGF Amaral Peixoto (sucessora de Botto de Barros) ativa

 

 


ERJ 731 – Largo de São João

A área pertencia à sesmaria concedida em 1568 aos índios temiminós sob o comando do cacique Arariboia. Em 1819 o rei Dom João VI, que costumava passar férias no bairro de São Domingos, elevou o Arraial da Praia Grande à condição de vila. No ano seguinte, foi contratado um projeto de arruamento da cidade, o primeiro planejamento urbano de uma cidade brasileira. O plano previa no Centro uma grande praça, que ficou conhecida como Largo de São João (atual Jardim S. João), local onde se construiria a igreja matriz, a Catedral de São João Batista, inaugurada em 1854.
Em 1824, no mesmo largo foi inaugurada a Casa da Câmara e Cadeia, prédio que em 1913 seria demolido para a construção do Paço Municipal de Niterói, inaugurado em 1914. A agencia postal “Largo de S. João” seria criada em 27 de janeiro desse mesmo ano, com a transferência da agencia em Sete Pontes.

Não tenho imagens. Mais abaixo, há imagem da terceirizada ERJ 740 – ACF Jardim São João que funcionou de 1996 a 2012 nas proximidades.

Outras três agencias são dessa época, localizadas em importantes vias próximas que obedecem ao traçado em xadrez do projeto original. São elas:

ERJ 732 – Marechal Deodoro
ERJ 733 – Rua Visconde de Sepetiba
ERJ 734 – Rua Visconde do Uruguai

Infelizmente, também não lhes possuo imagens.


ERJ 734A – Feira de Amostras (agencia temporária)

A esse respeito, ver matéria no menu História Postal sobre agencias temporárias.

ERJ 735 – Palacio da Justiça de Niteroi

ERJ 736 – Estação Rodoviaria de Niteroi

ERJ 739 – ACF Rink

ERJ 739A – AGF XV de Novembro (sucessora de Rink)

ERJ 740 – ACF Jardim São João

ERJ 740C – AGF Doutor Celestino

ERJ 741 – Praça Fonseca Ramos


PONTA D’AREIA (2 no mapa)


A Ponta da Areia, ou península da Armação, era originalmente dedicada à pesca , tendo sido importante porto baleeiro. A vocação industrial veio depois, com as oficinas de material bélico da Marinha do Brasil e estaleiros. Na época do Barão de Mauá, a indústria diversificou-se e passou a produzir vários equipamentos. Mauá, precursor da industrialização brasileira, é homenageado no bairro com nome de rua e de estaleiro.

ERJ 742 – Armação
ERJ 743 – Vila Pereira Carneiro (ex-742)

A Companhia de Comércio e Navegação estabelecida também na Ponta d’Areia, possuía importante frota de cabotagem e grandes armazéns gerais. Foi dessa companhia o dique Lahmeyer, considerado o mais sólido do mundo por ter sido cavado em rocha e que durante muito tempo foi o maior da América do Sul. O Conde Pereira Carneiro (1877-1954), principal acionista da empresa, também construiu a vila que leva o seu nome, existente até hoje, que foi criada com fins sociais para os empregados da empresa. Atualmente a vila está incorporada ao patrimônio arquitetônico da cidade. O Conde foi também acionista do Jornal do Brasil. Uma agência postal funcionou na vila de 1920 até 1962; inicialmente com o nome de Armação e a partir de 1932 renomeada em homenagem ao conde .

ERJ 744 – Ponta da Areia (sem imagens)


SÃO DOMINGOS (3 no mapa)

São Domingos é um dos bairros mais antigos da cidade. Suas ruas ainda preservam um pouco da arquitetura do fim do século XIX e o ar de cidade do interior. Sua localização, junto ao centro da cidade e a existência de um porto de atracação favoreceram a ocupação e urbanização ainda no período colonial. No ano de 1816, São Domingos recebeu a visita do rei D. João VI que passou temporadas na região em uma casa a ele cedida e sua presença foi fundamental para o desenvolvimento da povoação. Esse prédio foi a primeira Casa da Câmara até a transferência da sede da Vila de São Domingos para o atual Centro.

No mesmo período, o atracadouro passou a ter bastante movimento com o serviço de transporte marítimo e com a construção da Companhia Cantareira (imagem), hoje um Centro Cultural e um dos símbolos do bairro.

ERJ 745 – São Domingos a agencia postal é a mais antiga da cidade depois da Central e sua criação em 1856 consta do Relatório dos Correios de 1858. No entanto, há uma lacuna no seu funcionamento entre 1880 e 1908 quando reaparece no DOU como “São Domingos de Niteroi“. É possível que em algum momento tenha sido renomeada ou restituída com o novo nome. Seria fechada no pacote de 25.11.1931 (BP). O fragmento abaixo é quase no fechamento.


INGÁ (local 4 no mapa)


No passado, antes da fusão entre os estados do Rio de Janeiro e Guanabara, o bairro era a sede do poder estadual. No Ingá, encontram-se importantes museus, como o Museu do Ingá e o Museu Antônio Parreiras. O bairro recebeu este nome devido ao frondoso Ingá que existia nos primórdios da ocupação do bairro na atual Rua Tiradentes (outrora rua do Ingá).

ERJ 746 – Ingá (1910-1931)
ERJ 747 – ACF Ingá (1992-2013)
ERJ 747A – AGF Aguia (2013- )

É a tradicional agencia do bairro, ainda ativa como AGF.

ERJ 748 – Palacio do Governo (do Estado do Rio de Janeiro)

O Museu de História e Artes do Estado do Rio de Janeiro, ou Museu do Ingá, como é conhecido, ocupa o Palácio Nilo Peçanha, antiga sede do governo do Estado do Rio de Janeiro, entre 1904 e 1975, quando se deu sua fusão com o antigo Estado da Guanabara. O palacete foi criado em 1860, para servir de residência ao médico e político José Martins Rocha. Nilo Peçanha, empossado como governador do Rio de Janeiro a 31 de dezembro de 1903 adquiriu o imóvel para residência oficial dos chefes do executivo fluminense. O prédio foi o primeiro a receber luz elétrica na cidade e sofreu obras, em 1920, para acréscimo de dependências destinadas à residência dos governadores (texto adaptado de museusdorio.com). Uma agencia postal telegráfica funcionou por pouco tempo no edifício entre 1950 e 1960.

Boa Viagem O local, vizinho ao Ingá, abriga a Ilha da Boa Viagem assim denominada porque os navegadores que chegavam ou saíam da Baía agradeciam a boa viagem que fizeram ou para pedir a bênção para uma nova viagem. É ocupada pela Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem, erguida no século XVIII, no ponto mais elevado da ilha.

Construído sobre o Mirante da Boa Viagem, o MAC é um museu de arte contemporânea brasileira inaugurado em 2 de setembro de 1996. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o MAC tornou-se um dos cartões-postais de Niterói. O museu abriga o acervo da Coleção João Sattamini.


SÃO LOURENÇO (local 5 no mapa)


O bairro de São Lourenço tem grande importância para a história da cidade, pois foi nessa elevação onde a cidade foi fundada em 22 de novembro de 1573 pelo chefe temiminó Arariboia, na sesmaria que recebeu pela sua ajuda na expulsão dos franceses.  No bairro está a mais antiga igreja da cidade, a Igreja de São Lourenço dos Índios, localizada próxima ao outeiro do mesmo nome. O seu altar, com a estrutura quase toda em pau-brasil, e o seu piso, são ainda originais da época da construção. Segundo consta, a igreja foi erigida em 1627 e é tombada pelo IPHAN.

O Parque Natural Municipal de Niterói ocupa parte desse morro e uma de suas trilhas, conhecida por trilha colonial, leva à Ponte de Pedra, construída na década de 1830 por escravos numa trilha de indígenas no período colonial.

ERJ 749 – Ponte de Pedra (1918-1992)

A agencia postal Ponte de Pedra funcionou de 1908 a 1992 e ficava próxima à Matriz da Paroquia de São Lourenço.


SANTANA (LARGO DO BARRADAS) (locais 8 e 9 no mapa)


O antigo bairro de Santana foi desfigurado com aterros e as pistas expressas decorrentes da construção da ponte Rio-Niterói. Hoje ele é mais conhecido como Largo do Barradas.
A rua Benjamim Constant corta todo o bairro no sentido Norte-Sul e foi durante muito tempo a única via de acesso para a zona norte.

ERJ 752 – Largo do Barradas (1985-1996)
ERJ 753 – ACF Benjamin Constant (1993-2013)
ERJ 753A – AGF Ponte (2013-2014)

ERJ 754 – Santana de Marui (1874-1906)
ERJ 755 – Santana de Marui (1920-1931)

A E F Cantagalo (Linha 35) tinha inaugurado seu primeiro trecho entre Porto das Caixas e Cachoeiras de Macacu em 1860. Com a operação, ficou claro que a ferrovia precisava de conexão ferroviária com a Corte para melhor desempenho logístico. A construção contornando a Baía era na época tecnicamente inviável pela natureza do terreno (só ficaria pronta em 1926), de modo que a conexão por mar via Niterói parecia ser a melhor solução. Para tanto, organizou-se a Cia Ferro Carril Niteroiense em 1871.
A estação inicial, Sant’Anna de Maruhy, é desse ano; a imagem é de mapa de 1914 e mostra também o “Porto da EFLR” (Estrada de Ferro Leopoldina Railway). Não possuo imagens


BARRETO (local 10 no mapa)


Planta hydrografica do Porto do Rio de Janeiro, capitão-tenente Diogo Jorge de Brito 1810 (hemeroteca da BN)

Barreto é um bairro da zona norte de Niterói, vizinho a S. Gonçalo, que abrigava uma antiga fazenda denominada de Caboró (ou Tribobó), de propriedade do frei José Barreto Coutinho de Azevedo Rangel, que deu origem ao bairro (wikipedia). A fazenda utilizava um porto para comercializar sua produção que também tomou seu nome. O mapa acima é de 1810 e registra o porto.

No final do século XIX, grandes indústrias se estabeleceram no bairro. O mapa de 1914 mostrado em ERJ 754  registra duas delas: a Cia. Fiat Lux de fósforos e a imponente textil “Cia. Manufactura Fluminense Fabrica de Tecidos (1893-1997 imagem acima) com sua simpática vila de casas operárias [1]. O mapa também registra a estação Barreto, próxima ao largo de mesmo nome.

ERJ 756 – Porto do Barreto (1862-1886)
ERJ 757 – Barreto (estação)  (1910-1992)
ERJ 760 – ACF General Castrioto (1996-2013)
ERJ 760A – AGF Barreto (2013- )

A história das agencias do bairro está bem documentada. Uma agencia postal “Porto do Barreto” foi criada em 10 de março de 1862 (NM). Nota do “Correio da Côrte” publicada no Diario do Rio de Janeiro em 29 de abril informa o envio de correspondência para a localidade a partir de 1º de maio de 1862. Ela já não mais está registrada no Relatório dos Correios de 1886.

Uma segunda agencia “Barreto” foi criada foi criada em 24 de outubro de 1910, na época da construção do Ramal de Niterói [2]. Ela seria sucedida por volta de 1996 pela terceirizada “ACF General Castrioto”, principal artéria do bairro e próxima à Igreja Matriz de S. Sebastião e à antiga tecelagem. Hoje no local funciona a “AGF Barreto” que sucedeu aquela seguindo a regulamentação dos Correios.

[1] Quando o apito não tocou: experiência operária e identidade de classe em um bairro operário em declínio (Barreto – Niterói) dissertação de mestrado por Luciana Wollmann (2011)
[2] A segunda estação em território de Niteroi é Barreto e foi inaugurada em 1913. Um pouco adiante na linha está a estação “Entroncamento” (sem agencia) que é a inicial da Linha 58 – EF Maricá.


ICARAÍ (posição 11 no mapa)


No início do século XVI, o bairro fazia parte do território dos índios tupinambás. Com a derrota destes perante os portugueses e seus aliados temiminós em 1567, a região, sob o nome de Freguesia de São João de Carahy, foi doada ao chefe temiminó Arariboia em 1568, como parte da Sesmaria dos Índios (wikipedia)
A Freguesia de São João Baptista de Icarahy é de 1696 (AL).

ERJ 761 – Icaraí

Terceira agencia mais antiga do município, criada em 1875 e ainda ativa.

ERJ 764 – Moreira Cesar

Outra agencia própria dos Correios no bairro, não teve vida longa (1981-2019)

Algumas agencias terceirizadas funcionaram no bairro; seguem imagens disponíveis.

ERJ 762 – ACF Miguel de Frias (1992-1996)
ERJ 766 – ACF Paulo Bregaro (1996-2012)
ERJ 767 – ACF Domingues de Sá (1996-2013)


SANTA ROSA (13 e 15 no mapa)


Santa Rosa originou-se da antiga Fazenda Santa Rosa, no século XVIII e sua história funde-se com a de Icaraí. Da partilha da fazenda originaram-se várias chácaras para onde deslocaram-se famílias abastadas da cidade. Em fins do século XIX o Colégio Salesiano Santa Rosa instalou-se no bairro e o Centro Educacional de Niterói, fundado em 1960, no vizinho bairro de Pé Pequeno.

ERJ 765 Largo do Rosario (1927-1931)
ERJ 768 – ACF Bazarte (1993-2013)
ERJ 769 – Santa Rosa (1907-2018)
ERJ 769A – Centro Educacional de Niteroi (1970-1972)

O antigo Largo do Rosario foi engolido pelas obras viárias da região e ficava em frente ao atual Instituto Abel La Salle. Não possuo imagens. A agencia Santa Rosa, hoje fechada, ficava um pouco mais adiante na Dr. Paulo Cesar.


SÃO FRANCISCO (local 16 no mapa)


 

Seu nome vem da igreja consagrada a São Francisco Xavier. Referências à igreja e ao bairro podem ser encontradas já no século XVII. A Enseada de São Francisco, também conhecida como Saco de São Francisco (devido ao formato da enseada) era importante fonte de peixes tanto para os nativos indígenas como para os colonos portugueses.

ERJ 770 – Saco de São Francisco (1928-1963)

ERJ 771 – São Francisco (1980- )

ERJ 772 – ACF Olho de Boi (1996-1999)


JURUJUBA (17 e 18 no mapa)


Jurujuba, praia em frente a São Francisco no Saco de mesmo nome, é predominantemente ocupada por antigos moradores de uma vila de pescadores, uma das mais tradicionais do estado. Aí se organiza em 29 de junho uma procissão marítima em louvor de seu padroeiro, São Pedro. Sua localização está a meio do caminho para o Complexo dos Fortes, antiga área de defesa da entrada da Baía de Guanabara contra invasores no Brasil Colônia, tendo como destaque a Fortaleza de Santa Cruz.

Não tenho imagens das agencias.

ERJ 773 – Fortaleza Santa Cruz (1898-1917)
ERJ 774 – Jurujuba (1884-1931)


ZONAS NORTE, PENDOTIBA e LESTE (locais 20 a 28, exceto 26 e 29)


Essa região está representada no mapa de macrorregiões administrativas apresentado acima. As agencias pioneiras tendem a estar próximas aos caminhos de comércio que as une, atualmente representados pela alameda São Boventura (RJ-104) e a estrada para Maricá (RJ-100) representadas em vermelho no mapa do alto da página, que replico aqui.

Dentre as agências catalogadas darei destaque às cinco que foram criadas na virada do século. Infelizmente os carimbos dessas agências são raros e só possuo os de Fonseca, mesmo assim só os mais recentes.

ERJ 776 – Engenhoca (1911) tem nome oriundo de antigos engenhos existentes na área. Até 1920 era formado por três grandes fazendas: Fazenda das Palmeiras, Fazenda da Madame e a Fazenda do Alemão. É dessa época sua agencia postal.

ERJ 777 – Fonseca (1907) No passado, o bairro possuía grandes fazendas cujos proprietários deram nome aos atuais bairros. “Seu” Fonseca era José da Fonseca e Vasconcelos, dono de uma das maiores fazendas de cana-de-açúcar da região, que tinha engenho e capela, esta ainda existente.

ERJ 779 – Serrão (1911) renomeada ERJ 780 – Cubango (1917) O bairro só foi criado oficialmente no começo do século XX, e prolongava-se pelo vale de ligação com os bairros de Santa Rosa e do Fonseca. O tráfego de bondes, a partir de 1911, trouxe o loteamento que gerou rápida valorização local. A agencia é de 1911, próxima ao morro do Serrão do qual tomou o nome, mudado depois para Cubango.

ERJ 781 Pendotiba (1907). A região Pendotiba foi definida pelo Plano Diretor de Niterói de 1992 como sendo constituída pelos seguintes bairros: Badu, Cantagalo, Ititioca, Largo da Batalha, Maceió, Maria Paula, Matapaca, Sapê e Vila Progresso. Este último foi originado de uma fazenda, pertencente a ingleses, que ali se estabeleceram ainda no século passado. Por volta de 1920, a fazenda foi desmembrada e o loteamento daí surgido recebeu o nome de Vila Progresso. O local me pareceu o mais adequado para localizar a antiga agencia pela data e por estar ligado ao mesmo sistema viário das demais agências listadas acima.

ERJ 783 – Baldeador (1890) tinha uma extensão territorial muito maior pois nele estavam incluídas partes do atual município de São Gonçalo bem como os territórios dos atuais bairros do Caramujo e de Santa Bárbara. O bairro foi estabelecido pelos limites do Decreto Lei 4895 de 1886.

Todas as agencias descritas acima foram fechadas em algum momento. Das terceirizadas, listo a seguir as que tenho carimbos na coleção; duas AGF estão ativas.

ERJ 778 – ACF Vitoria (1994-2012)

ERJ 778A – AGF Alameda (2012- )

ERJ 782 – ACF Pendotiba 1993-2013)

Obs. Não confundir com a agencia ERJ 781 (1907-1963) em localização diferente que foi apresentada mais acima.

ERJ 782A – AGF Largo da Batalha (2013-2016)

 

ERJ 782C – ACF Itaipu (1994-1996)

Obs. Não confundir com a agencia ERJ 784 (1907-1963) na região oceânica que será apresentada abaixo.


REGIÃO OCEÂNICA (locais 26 e 29)


É a maior das regiões de Niterói e a que possui menor numero de agencias: somente três, das quais duas são agencias terceirizadas recentes sendo que uma delas, a AGF Região Oceânica, ainda está ativa.

A ocupação humana na região é antiquíssima, povos coletores que deixaram como vestígios de sua presença os sambaquis encontrados na região da Duna Grande de Itaipu. A povoação surgiu com a chegada dos portugueses no século XVI. Testemunhos dessa época são a Igreja de São Sebastião, concluída em 1716, e o Convento de Santa Tereza, inaugurado em 17 de junho de 1764 (imagem). Em 1755 foi criada a freguesia de São Sebastião de Itaipu.

A história do atual bairro de Itaipu se confunde com a da própria Região Oceânica. Em 1977, o Museu de Arqueologia de Itaipu foi inaugurado, utilizando-se das instalações abandonadas do Convento de Santa Tereza (texto e imagem da wikipedia).

Pelo Decreto Estadual 124 de 22/09/1890 é desmembrada de Niterói a Freguesia de São Sebastião de Itaipu e anexada ao novo município de São Gonçalo. Foi remembrada a Niterói pelo Decreto-lei Estadual 1.056 somente em 31/12/1943 (IBGE)

ERJ 785 – Itaipu (29/08/1889-1933)
Com os dados acima vemos que esta agencia tem uma história bem fora do comum. Criada em Niterói, um ano depois é transferida, junto com o distrito, para o recém-criado município de São Gonçalo, retornando em 1943, dez anos depois de ter sido fechada. Lamento não possuir exemplares.

A região tem outras duas agencias terceirizadas, uma delas sucessora e ativa.

ERJ 786 – Oceânica (2000-2012)
ERJ 786A – AGF Região Oceânica (2013- )

Obs. A data do primeiro carimbo é algumas semanas anterior à data da criação que consta da etiqueta. Isso acontece frequentemente com as AGF porque o que a data do contrato estipula é o prazo limite para instalação da agencia.


UNIDADES OPERACIONAIS


Preferi agrupá-los funcionalmente ao invés de colocá-los em seus repectivos locais. A relação completa está nas tabelas ao alto da pagina. Aqui registrarei somente os que possuo carimbos na coleção.

ERJ 788 – CDD Niteroi

ERJ 792 – CDD Icarai

ERJ 793 – CTCE Niteroi

ERJ 795 – CDD Largo da Batalha


© 2011-2021 agenciaspostais.com.br (rev. setembro de 2021)