Resende

MUNICÍPIO DE RESENDE

Tradicional município do estado, sua origem está ligada à Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre, criada em 2 de janeiro de 1756 que, por sua vez, remete ao Curato de mesmo nome datado de 1747. A elevação à Vila de Resende, equivalente à Município, veio em 29 de setembro de 1801 e à cidade em 13/07/1848.

Distritos de Resende (em azul, os atuais)

    • Resende
    • Campo Belo (1842); Itatiaia (1943); desmembrado como município de Itatiaia (1988)
    • São Vicente Ferrer (1843); Fumaça (1938)
    • Santana dos Tocos (1843); Salto (1938); Pirangaí (1943); extinto em 1990.
    • Vargem Grande (1856); Pedra Selada (1943)
    • Porto Real (1890); desmembrado para formar o município de Porto Real (1995).
    • Campos Elisios (1891); Agulhas Negras (1943)
    • Engenheiro Passos (1952)

AGÊNCIAS POSTAIS

REDE FERROVIÁRIA

Várias agências de Resende tiveram relação com as estações ferroviárias:
• D. Pedro II: Surubi, Campos Elíseos e Boa Vista.
• EF Resende-Bocaina partia da estação central de Resende e cujo traçado cruzava a divisa com S. Paulo indo até São José do Barreiro. Suas principais estações: Babilonia, Estalo e Formoso. Esta última já estava em território paulista, mas permaneceu sob administração da DR-RJ até 1900, tornando-se a única agencia paulista com esse status.


HISTÓRIA, CURIOSIDADES E IMAGENS SOBRE AS AGÊNCIAS


Resende (local 1 no mapa do alto da página)

Em 1744 o coronel paulista Simão da Cunha Gago obteve licença para desbravar a região à procura de ouro e pedras preciosas, armando acampamento numa colina que avançava sobre o Rio Paraíba, onde hoje é o bairro Montese,  onde foi erguido um altar onde foram rezadas as primeiras missas. Mais tarde, o acampamento foi transferido para a margem direita e a este lugar deu-se o nome de Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova, o primeiro nome do futuro município de Resende. Em 1756 é criada freguesia com denominação de Arraial do Campo Alegre.

No dia 29 de setembro de 1801, o povoado foi elevado à Vila de Resende. A mudança do nome é uma homenagem ao Conde de Resende, que era o Vice-Rei do Brasil na época. A extensão do território da Vila boa parte do vale do Paraíba fazendo divisa com Angra dos Reis e Minas Gerais.

O mais antigo município da região, Resende é um importante polo industrial-militar do Estado do Rio de Janeiro, fazendo divisa com os estados de Minas Gerais e S. Paulo.

Sua agência postal data de 1829, sendo uma das vinte mais antigas do estado, prestes a completar seu bicentenário.

O catálogo RHM 2016 registra sob o nº P-RJ-30 uma marca postal pré-filatélica que apresento abaixo sobre carta (reprodução da internet).

ERJ 1027 – Resende (1829 –  )

Carimbos da sede do município:


Agencias terceirizadas e unidades de serviço da sede do município

 ERJ 1028 – ACF Cidade Alegria (1996-2012)

ERJ 1029 – ACF Jardim Tropical (2000-2002)

ERJ 1056 – CDD Resende (1996 –  )

 


Suruby (Local 2 no mapa)


A estação de Surubi foi inaugurada na EF D. Pedro II em 4 de dezembro de 1878 ; a agencia postal é de 1872 mas foi reinstalada na estação quando inaugurada. Mais tarde, ambas foram renomeadas Oliveira Botelho governador do estado de 1910 a 1914. Seu diferencial na época era ser também a estação inicial da EF Resende – Bocaina (também referida por Resende – Areias) cujo ambicioso projeto era chegar a Areias e a Queluz.

No entanto, dificuldades financeiras e políticas, além de um traçado complicado, fizeram com que a linha entrasse em decadência e finalmente desativada em 1929 (ano em que a agencia mudou de nome). Mais tarde, nos anos 1960, a construção da nova variante a colocou definitivamente fora de atividade. Hoje praticamente não há vestígios da estação ou da localidade.

ERJ 1030 – Suruby (1872-1929)

ERJ 1031 – Oliveira Botelho (1929-1963) – deste não tenho exemplares.


Estações de EF Resende – Bocaina (Locais 3, 4 e 4a no mapa)


Como se vê na planilha ferroviária, a ferrovia teve quatro estações na linha. Como é praxe neste trabalho, descrevo somente as que possuíram agencias postais em algum momento.

São elas (todas com carimbos de legendas com cercadura catalogadas no PA)

ERJ 1032 – Babilonia (1878-1916)

ERJ 1033 – Estalo (1878-1940)

ERJ 1034 – Formoso (1878-1900) em território paulista, mas subordinada à DR-RJ até 1900. Isso a torna a única agencia paulista com essa particularidade.

São José do Barreiro em S. Paulo é cidade histórica, hoje turística e sede de município que inclui Formoso. Sua agencia postal é de 1834 – bem anterior à chegada da ferrovia e quase tão antiga quanto Resende.

Carimbos da EF Bocaina:


Sant’Anna dos Tocos e Pirangaí (Locais 5 e 6 no mapa)


A Freguesia de Santana dos Tocos foi estabelecida em 1843 com origem no Curato Senhor Bom Jesus do Ribeirão de Santana de 1830. Nessa mesma data recebeu a sede do 5º distrito de Resende. O mapa Villiers de 1852 acima dá uma boa ideia da importância da localidade na época (ver S.Anna), como centro cultural e econômico da região, a par com Campo Bello e S. Vicente Ferrer, sobre os quais falarei mais adiante.

***

O mapa acima mostra o grande meandro que o rio Paraíba fazia na região (e que o mapa Villiers não registra), na extremidade sul do qual estava Santana dos Tocos e depois Pirangaí. O transporte do café na época era feito para os portos do litoral por tropas de burros. Na década de 1870 foi construída a EF D. Pedro II com traçado retilíneo entre as estações de Itatiaia e Nhangapi, deixando Tocos distante do principal tráfego comercial.

A decadência se acelerou com o fim do ciclo do café. O distrito foi renomeado Salto em 1938 e Pirangaí em 1943. O golpe final foi a construção da represa do Funil nos anos 1960, que inundou todo o percurso do meandro. A cidade foi abandonada e submersa. Um novo povoado – Pirangaí – se formou mais tarde nas redondezas e assumiu a sede do distrito homônimo até que este foi extinto em 1990, tendo sua área remembrada a Resende;

A agencia postal “Sant’Anna dos Tocos” foi criada em 6 de maio de 1868 (ref. Nova Monteiro). Seu nome foi alterado para Salto no final dos anos 1930 acompanhando o nome do distrito e fechada em meados dos anos 1960. O GP de 1976 registra uma agencia “Pirangaí” que foi criada na nova localidade.

O carimbo mais antigo foi registrado por Paulo Ayres como PA 1447 “Santa Anna dos Tocos” na emissão de 1866, o que faz sentido. A agencia foi sempre referida pelo seu nome composto. Em seguida, tenho registro dos tipos circulares com legenda S. Anna dos Tocos e florão, formato que permanece nos primeiros anos da república.

ERJ 1036 – Santa Anna dos Tocos (1868-1940)
ERJ 1037 – Salto (1940-1963)
ERJ 1038 – Pirangaí (1976-1999)


Visconde de Mauá (Local 7 no mapa)


De forma mais ampla, o nome Visconde de Mauá é atribuído ao conjunto das vilas de Mauá, Maringá e Maromba (imagem ao lado), e seus diversos vales, como o Vale das Cruzes, Alcantilado, Pavão e Grama. A região como um todo compreende parte dos municípios de Resende e Itatiaia, no estado do Rio de Janeiro, e Bocaina de Minas, em Minas Gerais.
O nome Visconde de Mauá homenageia Irineu Evangelista de Sousa, barão e depois visconde, que recebeu terras da região em 1870, como concessão do governo imperial para exploração de madeira, que seria transformada em carvão vegetal. Em 1889, ainda no Império, seu filho, Henrique Irineu de Souza, instalou nas terras um núcleo colonial, formado por famílias de imigrantes europeus. A iniciativa fracassou e a maior parte dos colonos retornou aos países de origem. Em 1908 o governo federal compra as terras de Henrique e cria o Núcleo Colonial Visconde de Mauá, segunda tentativa de receber colonos europeus. Este núcleo também acaba extinto em 1916.
Algumas famílias alemãs permaneceram em Visconde de Mauá e, a partir da década de 1930, começaram a receber parentes e amigos vindos da Europa, iniciando a atividade turística na região. Nos anos 1970, a vila de Maromba foi descoberta pelos hippies e, a partir dos anos 1980, o turismo torna-se a principal atividade turística da região (texto da Wikipedia).

ERJ 1039 – Visconde de Mauá (1918-1989)
ERJ 1039A – AGC Visconde de Mauá (1999- )


Santo Antonio da Vargem Grande e Pedra Selada (Local 8 no mapa)


A localidade foi sede do distrito “Vargem Grande” desde 1856, que o mapa de 1866 ao lado registra em destaque. Ficava nos contrafortes da Serra da Pedra Selada, limite norte do município. O distrito foi renomeado “Pedra Selada” em 31 de dezembro de 1943 – nome que a localidade adotou, que hoje está à margem da rodovia RJ-161 que segue em direção a Minas, embora o povo continue a chama-la pelo nome original.

Fazenda “Vargem Grande”

O povoado se formou em torno da fazenda “Vargem Grande”, grande produtora de café e que hoje se dedica à agropecuária.

ERJ 1040 – Santo Antonio da Vargem Grande (1873-1969)
ERJ 1041 – Pedra Selada (1976-1999)
ERJ 1041A – AGC Pedra Selada (1999 –  )


São Vicente Ferrer de Resende e Fumaça (Local 9 no mapa)


História política

As atividades pastorais em Fumaça remontam ao ano de 1788, quando o sargento-mor Joaquim Xavier Curado e suas forças, seguindo orientações do vice-rei (governador da Província do Rio de Janeiro) D. Luiz de Vasconcellos e Souza, aprisiona e aldeia uma parte dos Índios Puris e lhes doa (em uma cédula-documento), em nome da rainha D. Maria I de Portugal, uma porção de terras nas abas da Serra da Mantiqueira. Esse local recebeu o nome de Aldeamento São Luiz Beltrão e nele foi erigida uma rústica Capela em nome desse Santo para as atividades pastorais dessa aldeia nascente.

Em 1825 o bispo da Província do Rio de Janeiro relata em uma carta pastoral – arquivada na Catedral da Sé – o declínio da capela de São Luiz Beltrão e do aldeamento e já fala da Capela de São Vicente Ferrer, tratando-o como o principal padroeiro do Curato São Vicente Ferrer do Rio Preto. Logo após o curato, a região recebeu o nome de Freguesia São Vicente Ferrer. “E os índios foram sendo abandonados à sua má sorte e aos interesses de seus vizinhos colonizadores…” (imagem e texto extraídos da Revista Deodorus de Fumaça em matéria de 18/01/2021)

***

Desse texto, depreende-se que o Curato já existia em 1825. Como confirmação, encontrei também um documento oficial, um requerimento datado de 31 de julho de 1828 apresentado à Repartição dos Negócios da Justiça que se refere ao Curato de S. Vicente Ferrer do Rio Preto no Termo da Villa de Resende (publicado no Diario Fluminense do Imperio do Brasil em 4/8/1828).

Pela Lei Provincial n.º 287 de 19-05-1843 é criado o distrito de São Vicente Ferrer e anexado à vila Arraial de Campo Alegre. Pelo Decreto-lei Estadual n.º 641, de 15-12-1938, o distrito de São Vicente Ferrer passou a denominar-se Fumaça (IBGE).

História postal

A imagem acima é do Relatório Ministerial de 1834, com dados de 1833, que menciona o fechamento da agencia do Curato de São Vicente Ferrer por prejuízo operacional. Essa agencia deve ter sido criada por volta de 1830, pois não seria mais antiga do que a da sede do município que é de 1829. Uma nova agencia “São Vicente Ferrer de Resende” só seria criada em 1872 sendo renomeada Fumaça por volta de 1938, data em que o distrito foi renomeado; alguns GPs posteriormente não a registram mas ela está ainda ativa como AGC.

***

O carimbo controverso

Recebi em abril de 2021 um comentário no site do leitor Pedro Ernesto que transcrevo a seguir:

Muitos anos atrás, o editor do catálogo RHM publicou uma notícia sobre um novo carimbo pré-filatélico Cº. D. S. VICENTE, na cor sépia, de 27 de abril de 1833, que eles classificaram como sendo de São Vicente Férrer da Formiga de Minas Gerais. (https://www.oselo.com.br/artigo/carimbo-sao-vicente-ferrer-da-formiga/).

Pelas informações do remetente (Juiz de Paz de S. Vicente Ferrer) e do destinatário (Presidente da Câmara de Resende), eu considerei que a classificação estava equivocada, pois parecia ser um carimbo de São Vicente Férrer, um dos distritos de Resende no estado do Rio de Janeiro, não de Minas Gerais. Eu tinha informações de que São Vicente Ferrer era um grande centro de produção de café já em 1830, mas não tinha como confirmar que esse distrito de Resende tinha uma agência dos Correios nesse período.

Escrevi para o editor do catálogo, que me informou que não estava com a carta para poder analisar esse meu questionamento e até hoje o carimbo está classificado como sendo de MG.

Agora com as informações aqui deste site, acho que tenho razão sobre o carimbo. Cº. D. S. VICENTE que quer dizer Curato de São Vicente, não São Vicente Férrer da Formiga e havia uma agência dos Correios em 1833, que ainda neste ano foi encerrada (…)”

Eu lhe respondi na época simplesmente que, na minha opinião, ele tinha razão. Este mês de outubro de 2021 estou atualizando meu site, entre outras coisas aprofundando as pesquisas históricas e postais sobre os ambientes de cada agência. Foi quando voltei a examinar a tal sobrecarta, cuja imagem reproduzo da publicação original. Com as informações que disponho, não teria dúvida em entender a carta como correspondência oficial entre o Juiz de Paz de um importante Curato e a Camara Municipal da Vila de Resende ao qual o Curato estava subordinado. Enfim, concordar integralmente com a opinião do leitor. Por isso, classifiquei o carimbo como emitido pela agência ERJ 1042.

P.S. no alto da sobrecarta, lê-se S.N. O catálogo RHM de 2016 o cataloga no capitulo de marcas de isenção de porte sob o nº MIP-m5 s (utilizada pelos Juízes de Paz). 

***

 Enquanto eu trabalhava nestas linhas, por coincidência recebo e-mail do colega Fabio Monteiro do ArGe Brasilien me informando que um filatelista gaúcho lhe teria jurado ter visto numa exposição a referida carta, a qual teve oportunidade de examinar, encontrando a menção a “Fumaça” no remetente. A notícia parece ser a bala de prata na controvérsia.

ERJ 1042 – Curato de S. Vicente Ferrer (ND-1833)
ERJ 1043 – São Vicente Ferre de Resende (1872-1939)
ERJ 1044 – Fumaça (1939-1999)
ERJ 1044A – AGC Fumaça (1999 – ) Não possuo carimbos de Fumaça


Estação de Itatiaia, depois Nhangapi (Local 10 no mapa)


História Ferroviária

A EF D. Pedro II, na sequencia após Resende, construiu as estações de Campo Bello (28.03.1873) e Itatiaia (02.01.1874), ambas no município de Resende.  No entanto, em 31.12.1943, o distrito de Campo Bello foi renomeado Itatiaia. Para alinhar a estação ao novo nome do distrito, decidiu-se trocar o nome da estação seguinte (Itatiaia) para Nhangapi e renomear como Itatiaia a antiga Campo Bello (que nessa data já se chamava Barão Homem de Mello). Isso foi feito em 22 de agosto de 1944 (ver imagem acima).

História postal

No atual município de Itatiaia: a agencia foi criada como “Campo Bello” em 1866 e foi renomeada “Itatiaia’ em 31 de dezembro de 1943.

No município de Resende: a agencia foi instalada na estação como “Itatiaia” em 1874. Mudou para “Nhangapi” em 4 de novembro de 1948.

ERJ 1047 – Itatiaia (1874-1948)
ERJ 1048 – Nhangapi (1948-1963) – desta não tenho imagens


Boa Vista e Engenheiro Passos (Local 11 no mapa)


Boa Vista foi a última estação da EF D. Pedro II em território de Resende; foi inaugurada em 30 de junho de 1873. Em 1891 foi renomeada Engº Passos como homenagem da agora EFCB ao seu profissional. A imagem é do site estacoesferroviarias.com.br e mostra a estação, recém-inaugurada, com seu desenho original. Foi reformada recentemente e serve com posto de informações turísticas. É sede de distrito desde 1952.

A agencia postal foi instalada em 1873 no prédio da estação e assumiu seu novo nome em 1894.

ERJ 1049 – Boa Vista (1873-1894)
ERJ 1050 – Engenheiro Passos (1894-1999)
ERJ 1050A – AGC Engenheiro Passos (1999 –  )


 Campos Elíseos e AMAN (Local 1a no mapa)


Campos Eliseos é sede de distrito desde 1891, atualmente com o nome de Agulhas Negras

O mapa acima da Wikimapia (com textos explicativos deste autor) mostra o bairro de Campos Elíseos na margem esquerda do Paraíba em frente ao centro da cidade. Em 1873 ele foi cruzado pelo Ramal de S. Paulo da EF D. Pedro II que nele construiu a estação Resende (A no mapa), cuja foto atual está abaixo.

Em 1937 um novo prédio estilo ‘getulista’ foi inaugurado do outro lado da linha na Praça da Bandeira, também conhecida por “Praça do Trenzinho” já que nela está exposta uma pequena locomotiva maria-fumaça (imagem acima e B no mapa).

Em 1944 foi inaugurada no local a Escola Militar de Resende, escola de ensino superior do Exército Brasileiro anteriormente sediada no subúrbio de Realengo no Rio de Janeiro, cuja entrada monumental está na imagem ao lado (C no mapa Wikipedia). Em 1951, ano em que completava 140 anos de sua fundação, ela seria renomeada oficialmente AMAN- Academia Militar das Agulhas Negras.

Por último, o mapa mostra em vermelho o traçado da rodovia Presidente Dutra que foi inaugurada em 1951 e sob a qual há uma passagem de nível para a RJ-161.

História Postal

A agencia postal “Campos Elyseos” foi criada em 30/09/1882 (fonte: RK) aparentemente sem relação com a estação, já que nem tem o seu nome. Mais tarde foi terceirizada e hoje opera no bairro (D no mapa) como uma AGF.

ERJ 1052 – Campos Eliseos (1882-1978)
ERJ 1053 – ACF Campos Elíseos (1993-2012)
ERJ 1053A – AGF Agulhas Negras (2012 –  )

Agencia interna da AMAN

ERJ 1054 – Escola Militar de Resende (1949-1951)
ERJ 1055 – Academia Militar das Agulhas Negras (1951 –  )

AMAN


©2011-2021 agenciaspostais.com.br (atualizado em outubro de 2021)

7 pensou em “Resende

  1. Paulo,
    Tudo bom? Nós fomos apresentados na Lubrapex, no último sábado, e acho o seu site excelente, principalmente porque uma das minhas coleções é sobre carimbos do Império. Tenho muitos selos com carimbos mudos e escritos com as cidades da minha região, Resende, que posso escanear e disponibilizar para você usar em seu site. Posso conseguir carimbos recentes de algumas cidades daqui também. Mantenha o contato.
    abraços
    Paulo Daróz – zod100

  2. Caro Paulo,
    obrigado pelos seus comentários. Minha coleção – e meu site – está focada nos carimbos datadores da República. Vários dos formatos utilizados vem do tempo do Imperio e assim eu os incluo em minha coleção. Tenho todo interesse em carimbos recentes, como vc diz. Pode me mandar que eu incluo no site. Manade-me email para prnovaes@gmail.com
    Um abraço, mantenha contacto
    Paulo Novaes

  3. Paulo Daróz – zod100
    Solicito seu endereço pode ser o email. Sou colecionador desde 1976. Moro em Porto Velho Rondônia
    Atenciosamente.
    Anisio Feliciano da Silva

  4. Muitos anos atrás, o editor do catálogo RHM publicou uma notícia sobre um novo carimbo pré-filatélico o Cº. D. S. VICENTE, na cor sépia, de 27 de abril de 1833, que eles classificaram como sendo de São Vicente Férrer da Formiga de Minas Gerais. (https://www.oselo.com.br/artigo/carimbo-sao-vicente-ferrer-da-formiga/).

    Pelas informações do remetente (Juiz de Paz de S. Vicente Ferrer) e do destinatário (Presidente da Câmara de Resende), eu considerei que a classificação estava equivocada, pois parecia ser um carimbo de São Vicente Férrer, um dos distritos de Resende no estado do Rio de Janeiro, não de Minas Gerais. Eu tinha informações de que São Vicente Ferrer era um grande centro de produção de café já em 1830, mas não tinha como confirmar que esse distrito de Resende tinha uma agência dos Correios nesse período.

    Escrevi para o editor do catálogo, que me informou que não estava com a carta para poder analisar esse meu questionamento e até hoje o carimbo está classificado como sendo de MG.

    Agora com as informações aqui deste site, acho que tenho razão sobre o carimbo. Cº. D. S. VICENTE que quer dizer Curato de São Vicente, não São Vicente Férrer da Formiga e havia uma agência dos Correios em 1833, que ainda neste ano foi encerrada:

    “O Relatório Ministerial de 1834, com dados de 1833, menciona o fechamento da agência do “Curato de São Vicente Ferrer” por prejuízo operacional. Essa agência deve ter sido criada por volta de 1830, pois não seria mais antiga do que a da sede do município que é de 1829.”

  5. Caro colega Pedro
    Estou longe de ser especialista em pré-filatélicos, minha área de interesse é mais recente, quando os carimbos tinham datador e origem. Mas gosto muito de história, e o que está no site dá a entender que, na data apontada da carta, a agencia estaria aberta no distrito fluminense de S Vicente Ferrer.
    Por outro lado, é uma carta de serviço publico e faria muito mais sentido que fosse enviada de um distrito para sua sede do que de uma província para outra.
    Se me coubesse dar opinião, acho que o colega está com a razão.
    Um abraço. Mantenha contato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.