Centro E-J

Mapa do Centro Para Site - JPEG

centro-ej1


A OPERAÇÃO ANTARTICA E A ESTAÇÃO ANTARTICA COMANDANTE FERRAZ

No ano da instituição do PROANTAR (1982), o Brasil adquiriu um navio-polar dinamarquês, renomeado Navio de Apoio Oceanográfico Barão de Teffé. Naquele ano, a embarcação procedeu ao reconhecimento hidrográfico, oceanográfico e meteorológico de porções do continente Antártico com vistas a selecionar um local para a instalação de uma base brasileira. Em 12 de setembro de 1983, como resultado dessa expedição – designada Operação Antártica I, o Brasil foi reconhecido como Parte Consultiva do tratado da Antártica.

A Estação Antártica Comandante Ferraz foi instalada em 6 de fevereiro de 1984, na baía do Almirantado, ilha do Rei George, no âmbito da Operação Antártica II, realizada no verão de 1983-84.  A Estação foi parcialmente destruída por um incêndio no dia 25 de fevereiro de 2012. Seu nome homenageia Luís Antônio de Carvalho Ferraz, um comandante da Marinha do Brasil, hidrógrafo e oceanógrafo.

Em meados de novembro partiram do Rio de Janeiro, aproveitando os verões antárticos, as três próximas expedições: Operação Antártica III (1984), Operação Antártica IV (1985) Operação Antártica V (1986) que se estenderam até março dos anos seguintes.

Há documentos postais de várias dessas expedições, tais como envelopes timbrados e carimbos postais, vide MRJ 173A. No entanto, oficialmente o primeiro PC – Posto de Correio foi  inaugurado somente em 12 de março de 1988 como pode ser observado no carimbo mostrado em MRJ 173.

No Rio de Janeiro, o PC foi instalado no prédio dos Correios na Cidade Nova e transferido em 2002 para a Praça Barão de Ladário no Centro como ACS – Agencia dos Correios Satélite. No mesmo endereço funciona também a agencia AC Marcilio Dias, o que explica a existência desse carimbo em alguns objetos postais da Estação. Finalmente, um contrato de AGC foi assinado em 10 de junho de 2003.

mrj0243-centro-comandante-ferraz

FÁTIMA

Região do centro do Rio limitada pela Lapa, Santa Teresa e Cidade Nova, o Bairro de Fátima não é considerado um bairro oficialmente. Fundado em 13 de maio de 1935, originou-se a partir da expansão de uma colônia de imigrantes portugueses que vieram para o Brasil por ocasião do Estado Novo português, foragidos do regime ditatorial de Salazar. Por sua localização privilegiada, entre o Centro e Santa Teresa, pouco a pouco o bairro passou a concentrar ainda grande parte dos imigrantes italianos e espanhóis que se estabeleciam na cidade e que atuavam no comércio do bairro. (baseado em artigo da Wikipedia)

Carimbos das agências do bairro de Fatima

mrj0243a-centro-fatima mrj0243b-centro-fatima

EXPOSIÇÃO FILATÉLICA DECENIO DO ESTADO NOVO, Agência temporária

Entre as comemorações do decenio do governo Getulio vargas o Clube Filatelico do Brasil preparou uma exposição dos selos emitidos naquele período. Uma agencia postal foi instalada no recinto. A exposição durou de 3 a 10 de novembro de 1940. Durante alguns dias de 7 a 10 de novembro, a sucursal da Lapa também utilizou um carimbo. (Informações do livro de Nino Códa, imagens das coleções de PN e livro NC).

mrj0244-centro-exposicao-filatelica

MOSTRA DE TURISMO, Agência temporária

Realizada no Rio de Janeiro em abril e maio de 1935 no Palacio das Festas na área das Feiras de Amostras. Noticia na imprensa se refere a ela como “a primeira exposição de turismo realizada no mundo”. Simultaneamente, realizava-se a Exposição de Radio.

mrj0244-centro-mostra-de-turismo-copia

FEIRA DE AMOSTRAS, Agências temporárias

As Feiras de Amostras eram eventos internacionais que ocorreram em algumas cidades brasileiras, sendo as do Rio de Janeiro as mais importantes. Com o desmonte do morro do Castelo e a realização da Expo do Centenário em 1922, a infraestrutura resultante foi por diversas vezes aproveitada para a realização de exposições. Foram realizadas 13 Feiras, de 1928 a 1940, quando foram interrompidas pela guerra (a imagem ao lado é de 1931). Uma curiosidade foi a feira de 1939. Nela, a empresa alemã Telefunken realizou a primeira transmissão pública de televisão do Brasil. O presidente Getúlio Vargas transmitiu um breve discurso na ocasião. Nas feiras eram montadas agências postais temporárias, às vezes em pavilhões dos Correios. Tenho material postal dos anos de 1934, 35, 36, 39 e 40. Foram também emitidos selos postais em 1934, 1935 e 1936 (veja imagens abaixo).

Soube recentemente da realização da 14a. Feira Internacional de Amostras no Rio de Janeiro 15 anos (!) após a realização da 13a. Ela foi inaugurada em 12 de outubro de 1955 com a presença do então presidente da Republica, Café Filho. Curiosamente, ela foi realizada em duas fases, com dois temas diferentes. A primeira durou até final de novembro e a segunda, prevista para dia 8 de dezembro, só foi na verdade aberta em 1º de junho de 1956. Uma agencia temporária APT funcionou pelo menos na primeira fase, segundo informações da imprensa da época. Vale lembrar que foi uma época política turbulenta. Getulio Vargas havia se suicidado em agosto de 1954 e Café Fº era seu vice. Afastou-se por motivo de saúde em 8 de novembro de 1955, assumindo Carlos Luz, presidente da Camara, que governou por apenas 3 dias quando foi deposto por um golpe militar e um impeachment relâmpago. Foi substituído por Nereu Ramos, 1º vice-presidente do Senado (!). Este governou até janeiro se 1956 quando foi empossado Juscelino Kubitschek, novo presidente eleito.

Há também menção de uma agência postal de 1937, montada em uma feira semelhante em Niteroi (vide).

Feira de Amostras RJ -Emissões Comemorativas RJ (Coleção Paulo Novaes)

feira de amostras estatisticas

Carimbos das Feiras de Amostras

mrj0244a-centro-feira-de-amostrasmrj0244b-centro-feira-de-amostras mrj0244c-centro-feira-de-amostras mrj0244d-centro-feira-de-amostras mrj0245-centro-feira-de-amostras mrj0245a-centro-feira-de-amostras mrj0245b-centro-feira-de-amostras

 

EXPOSIÇÃO NACIONAL DECENIO DO ESTADO NOVO, Agência temporária

mrj0245b-centro-exposicao-nacional

 

AGÊNCIAS FILATÉLICAS DO RIO DE JANEIRO

Recentemente revisei a história das agências filatélicas subordinadas ao Correio Central. Elas podem ser divididas em tres períodos:

  1. Agencia Filatelica (MRJ 181): estabelecida no prédio dos Correios à rua 1º de março, ela funcionou de 14/12/1946 a ca.1950. É possivel que tenha continuado a funcionar na rua Visconde de Itaborai, conforme informa o paragrafo seguinte, mas não encontrei referências ou carimbos até 1968.
  2. Agencia Filatelica Guanabara (MRJ 183): em 24/12/1968 há uma nota na imprensa sobre a transferência da agencia filatelica da rua Visconde de Itaboraí (atual Centro Cultural dos Correios) para a rua da Alfandega,15 – subordinada à DR-GB. Por volta de 1980, seu endereço é mencionado na rua da Quitanda, 24. Os carimbos do período mencionam também “Assessoria” e “Setor” além de “Ag. Filatelica Guanabara”. Há menções ao nome Guanabara até 1990.
  3. Agencia Filatelica do Rio de Janeiro (MRJ 182): nota na imprensa em 18/01/1982 informa que “uma segunda agencia filatelica” teria sido aberta sem festas no edificio dos Correios na Cidade Nova, na av. Presidente Vargas 3077. Essa agência teria sido transferida mais tarde para a rua da Quitanda, 20 pois assim consta no Guia Postal de 2002. Segundo investiguei, a agência teria sido “reinaugurada” em 2007, quando foi transferida para a rua 1º de Março, de volta às origens, onde funciona atualmente como AF.

Veja também a agencia filatelica em Ipanema.

mrj0246-centro-filatelicamrj0247-centro-filatelicacarimbos-mecanicos-propagandisticoscar0059-prop-filatelica-mrj-181

ACF GLORIA

mrj0247-centro-gloria

ACF GONÇALVES DIAS

mrj0247-centro-goncalves-dias

AC JK 
mrj0247-centrojk

© 2012-2016 www.agenciaspostais.com.br (atualizado outubro de  2016)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *