São Fidelis

MUNICÍPIO DE SÃO FIDELIS

A aldeia de São Fidelis de Sigmaringa foi criada em 1779. O Curato estabeleceu-se em 1812 e a Freguesia de São Fidelis de Sigmaringa foi criada em 2 de abril de 1840, subordinada a Campos dos Goytacazes. A emancipação da Vila foi em 19 de abril de 1850, desmembrada de Campos e instalada em 1855. Em 3 de dezembro de 1870 foi elevada à cidade com nome simplificado para São Fidelis (IBGE).

AGÊNCIAS POSTAIS

REDE FERROVIÁRIA


HISTÓRIA, CURIOSIDADES E IMAGENS DE AGÊNCIAS

 


Histórico dos distritos

    • São Fidelis de Sigmaringa (1840)
      • São Fidelis (1870)
    • Ponte Nova (1864)
      • Cambiasca (1943)
    • Dois Rios (1890)
      • Colonia (1938)
    • Timbó (1890)
      • Pureza (1938)
    • Ipuca (1890)
    • São José de Leonissa (1850); desmembrado em 1890 como município de Itaocara
    • Cambuci (1890); desmembrado em 1891 como município de Cambuci

São Fidelis de Sigmaringa (Local 1 no mapa)


Ciente do desejo de aldear-se demonstrado pelos índios coroados da região, o Vice-Rei incumbiu dessa missão os frades capuchinhos Frei Vitorio de Cambiasca e Frei Angelo Maria de Lucca que chegaram às terras de Campos em 1781.

Em busca de local apropriado para o aldeamento, encontraram os frades um sítio conhecido por Gamboa, onde tiveram boa acolhida por parte dos índios. Nesse local, ergue-se hoje a cidade de São Fidélis, às margens do Rio Paraíba.

Ali foi construída uma capela dedicada ao culto de São Fidélis de Sigmaringa. Em 1799 foi lançada a pedra fundamental da igreja, inaugurada a 23 de abril de 1808, que é a atual Matriz de São Fidélis. Em 1812 a localidade recebeu o predicamento de curato, elevado à freguesia em 1840.

ERJ 1164 – São Fidelis (1833-  )

***

Como boa parte das agências postais deste município estiveram relacionadas às estradas de ferro, resolvi apresentá-las nessa ordem.

A ERA DAS FERROVIAS PARTE I – E.F. Campos a São Fidelis

Estações Ernesto Machado e São Fidelis (Locais 1 e 2 no mapa)

Em 1876 a Cia. EF Macaé e Campos obteve a concessão para a construção da Estrada de Ferro Campos a São Fidélis pela margem direita do rio. A obra começou em 1882 e, após muitos atrasos, foi aberta ao tráfego em 1º de agosto de 1891 [8]. Vale registrar alguns esclarecedores trechos de matéria publicada na imprensa em 1891 sobre a inauguração da ponte sobre o rio Paraíba em 24 de agosto de 1891 [9]:

“Às 11 e meia da manhã partiu desta [a cidade de Campos] para a cidade vizinha o expresso (…) que chegou à 1hora da tarde à S. Fidelis (…) A ponte, que liga a EF de Campos a S. Fidelis com a de Santo Antonio de Padua, é uma das mais importantes deste paiz (…) com 500 metros e dividida em 8 vãos (…) Foi empreitada pelo dr. Joseph Lynch, começaram a assental-a em 13 de agosto de 1890 e terminada em 19 do corrente (…) Feitos os testes [de carga] teve logar a passagem do trem conduzindo senhoras e cavalheiros ao lado do Norte, estação de Lucca, donde regressou às 6 horas da tarde à S. Fidelis.”

Trata-se da famosa “Ponte Metálica” de São Fidelis, hoje atração turística recém-reformada. Duas informações preciosas: a ponte interligou ambas as ferrovias e construiu o pequeno trecho até a estação de Lucca, que, como veremos no próximo capítulo, era ponta de linha da EF Santo Antonio de Pádua. Ambas as ferrovias já haviam sido adquiridas em 1890 Leopoldina. Esta também construiu uma nova estação no centro de São Fidelis cujo prédio existe ainda, embora desativado[10].

Evidentemente, essa estação substituiria a antiga Lucca, que foi desativada em 4 de dezembro de 1891 [11]. A Cia. Leopoldina concretizaria portanto o projeto de integração previsto pela Cia. Macaé e Campos (ver aparte II da “era das ferrovias” logo abaixo).

Em tempo: uma ponte de concreto foi inaugurada em 2008 em paralelo à tradicional metálica (imagem).

***

Ernesto Machado (Local 2)

Simpática comunidade ao lado da desativada linha do trem “não tem celular, mas tem água encanada direto da fonte”, como diz o articulista nessa matéria:
https://www.jornalterceiravia.com.br/2020/02/16/ernesto-machado-pacata-e-com-qualidade-de-vida-pensa-no-turismo-do-trem/

A estação é de 1897 e a agencia, de 1909, está fechada. Nem a AGC vingou.

ERJ 1165 – Ernesto Machado (1909-1978)
ERJ 1165A – AGC Ernesto Machado (2013)

***

A ERA DAS FERROVIAS PARTE II – E.F. Santo Antonio de Pádua

Estações Lucca, Grumarim, Timbó e Coqueiros/Pureza (Locais 3, 4, 5 e 6 no mapa)

Lucca (Local 3)

A pioneira Estrada de Ferro Santo Antonio de Pádua teve aprovada em 1879 a concessão de uma ferrovia ligando São Fidélis a Pádua e Miracema. O primeiro trecho foi inaugurado em 14 de janeiro de 1880 ligando S. Fidélis a Três Irmãos (no atual Cambuci), tendo atingido Santo Antonio dos Brotos (atual Miracema) em 1883.

O traçado seguia pela margem esquerda do rio Paraíba sendo sua estação inicial construída em frente a São Fidélis, no distrito de Ipuca, próxima ao atual bairro de Cristo Rei [2]. A falta de uma ponte obrigava os viajantes à travessia do rio em canoas para chegar a São Fidélis; a rampa de desembarque na cidade ainda existe junto à rua Euclides da Cunha [3].

A estação ponta de linha, inaugurada em 09.05.1880, recebeu inicialmente o nome de “Central de São Fidélis”. Nesse ínterim, como vimos acima, a Cia EF Macaé e Campos tinha ganho em 1876 a concessão de uma nova estrada de Campos a São Fidélis. Essa mesma Cia compraria em 1884 a E.F. Santo Antonio de Pádua e, já com intenção de interligá-las, alterou o nome dessa estação para Lucca em setembro de 1885 [4]. O nome era uma homenagem ao Frei Angelo de Lucca, um dos fundadores da matriz de São Fidélis [5].

A estação foi fechada em 4 de dezembro de 1891 [11] pois em agosto desse ano a linha Campos-S.Fidelis já havia aberto a Estação de São Fidelis no centro da cidade e construído a ponte sobre o Paraíba interligando as duas linhas. Mais tarde, uma nova ponte ferroviária a montante (conhecida localmente por Ponte Preta) seria construída trazendo um melhor traçado à ferrovia unificada e desativando todo o trecho onde estava a antiga Lucca. Não encontrei nenhum vestígio dessa estação, nem alguém em São Fidelis que pudesse me informar.

Quanto à agencia postal, ela permaneceria aberta ainda um bom tempo, até 1940.

ERJ 1168 – Estação Central da E.F. de S. Fidelis (1880-1887)
ERJ 1169 – Lucca (1887-1940)

 

Ipuca, antiga Ypuca (Local 3)

Ipuca é desde 1890 o nome do distrito na margem oposta do Paraíba. A agência postal que servia a localidade esteve na estação de Lucca até ser fechada em 1940. Em 10.12.1948 os jornais locais noticiaram em destaque “a reabertura, após ser fechada há tempos sem motivo justificado”. Imagem do O Fluminense ao lado.

 

ERJ 1170 – Ipuca (1948-2002)
ERJ 1170A – AGC Ipuca (2001 – )

Não lhes possuo imagens

***

Seguindo a linha da EF Santo Antonio de Pádua no território de S. Fidelis, temos mais três estações, cujas localizações mostro no mapa abaixo extraído do Google Maps.

Grumarim (Local 4 no mapa ao alto)

Grumarim é local, conhecido por Dois Rios, onde se encontram os rios Grande e Paraíba. A estação foi inaugurada em 1917, mas a agencia postal já funcionava desde 1898 e ficaria aberta até o final dos anos 1970. A longevidade da agencia permite formular a hipótese que Grumarim fosse rota de comunicação entre as bacias do Paraíba e do Muriaé, sendo que nesta última corria a Linha do Carangola. Suporta essa tese o estabelecimento de uma linha postal Grumarim-Tabúa em 1937 (ver o item Tabúa ERJ 1177 mais adiante) sendo que esta está às margens do Valão da Tabua, afluente do Muriaé. A distância entre ambas é de apenas 20km.

ERJ 1171 – Grumarim (1898-1978)     Não tenho imagens

***

Timbó (Local 5 no mapa)

O local foi sede do antigo Engenho Timbó, adquirido em 1984 por Augusto Moret Barcelos, produtor da Wiskana, a cachaça de São Fidelis na atual Destilaria de Aguardente Timbó Ltda. As instalações podem ser vistas à distância devido à sua enorme chaminé. A inauguração da estação não tem data definida e sua agencia durou poucos anos.

ERJ 1172 – Timbó (1902-1909)

***

Pureza (Local 6 no mapa)

Pureza guarda riquezas arquitetônicas como herança de um passado onde se encontraram imigrantes de vários continentes. Sua estação foi inaugurada com o nome de Coqueiros em 1880 mudado para Pureza poucos anos depois. A agencia postal é de 1883 e foi instalada originalmente na estação.

ERJ 1173 – Coqueiros (1883-1886)
ERJ 1174 – Pureza (1886- )

***

Uma comunidade chamada Firmamento com agencia aparece nos documentos postais entre 1947 e 1951 na região de Pureza. Não encontrei vestígios, nem no Google… Tambem não tenho imagens.

ERJ 1175 – Firmamento


Notas e informações:
[1] https://arisp.files.wordpress.com/2009/10/relatorio-ministro-imperio-1854.pdf
[2] matéria Bairro Cristo Rei por Nelzimar Lacerda no site de São Fidelis
[3] matéria A importância das ferrovias por Aurênio Pereira Carneiro no site de São Fidelis
[4] matéria no Monitor Campista, 1 de setembro de 1885 (Hemeroteca da BN)
[5] conforme inscrição da lápide no consistório da referida Igreja.
[6] tabella das agencias do correio do Imperio (Ministério da Agricultura, 1885)
[7] Relatório Postal de 1887, pagina 85.
[8] Informações do livro de Helio Suêvo A Formação das Estradas de ferro no Rio de Janeiro publicado em 2004.
[9] A Republica ed. de 28 de agosto de 1891
[10] Estação de São Fidelis, imagem atual no Google Maps Street View
[11] Nota no Monitor Campista de mesma data: “Foi supprimida a estação de Lucca na linha de Pádua“.

Esse artigo está baseado em matéria da seção Agencias Ferroviárias deste site, ver:
http://agenciaspostais.com.br/?page_id=22913


Encerrando as localidades ferroviárias, passo a descrever as demais agencias em outras áreas do município.


Taboas ou Tabúa (Local 7 no mapa)


A localidade consta no GP de 1931 como não-instalada, mas em 1937 o DOU traz nota sobre a criação de uma linha postal ligando-a a Grumarim (imagem abaixo). No verbete Grumarim aventei a hipótese de haver uma rota comercial ligando as bacias do Paraíba e do Muriaé, ambas providas de ferrovias. Lembrando que Tabúa está ao lado do Valão da Tabua afluente do Muriaé. A distância entre as localidades é de apenas 20km, como diz o comunicado.

ERJ 1176 – Taboas (1928)
ERJ 1177 – Tabúa (1928-1937)

Sem imagens


Colonia e Cambiasca (Locais 8, 9 e 10 no mapa)


Colonia

Conta a história que, por iniciativa particular, o fazendeiro Eugênio Aprígio da Veiga solicitou oficialmente ao governo a vinda de imigrantes para sua fazenda na região de Valão dos Veados. Assim, em 1847 foi oficializada a colônia, uma das mais importantes do estado [1].

Em 5 de abril de 1854 foi aí criado o Curato de São João Baptista do Valão dos Veados a que logo se seguiu, em 16 de julho de 1855, a abertura da agência postal Valão dos Veados. O Curato foi elevado a Freguesia em 17 de outubro de 1857. A colônia não prosperou e assim a sede da freguesia acabou por ser transferida para o próspero Arraial da Ponte Nova (hoje Cambiasca), elevado a distrito em 24 de dezembro de 1864 sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição de Ponte Nova. Tudo indica que esse fato levou ao fechamento da referida agencia postal.

Já na república, em 29 de outubro de 1890, foi criado o distrito de Dois Rios com sede no antigo local de Valão dos Veados, que também adotou esse nome. Uma nova agência postal foi aí criada, com o nome de Colonia, em 3 de outubro de 1891 e que existe até hoje, agora como uma AGC. Finalmente, em 31 de dezembro de 1938 o distrito foi renomeado Colonia, sede do 4º Distrito de São Fidelis.

Leitura: https://www.saofidelisrj.com.br/colonia/

Cambiasca

A economia do Arraial da Ponte Nova, região de importantes fazendas, recebeu grande impulso quando da construção da ponte sobre o Rio Grande, estabelecendo uma ligação rodoviária entre as freguesias de São José de Leonissa (Itaocara) e São Fidelis. É até hoje a base do traçado da RJ-192 (BR-492) que atravessa o município.

Foi elevada à Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Ponte Nova em 24 de dezembro de 1864 quando a sede da antiga freguesia de Valão dos Veados foi para ela transferida. A agência postal, denominada Conceição da Ponte Nova, foi criada em 14 de dezembro de 1873. O título de Distrito foi confirmado em 3 de junho de 1892 com seu nome simplificado para Ponte Nova. Finalmente o nome, para o atual Cambiasca, foi alterado em 31 de dezembro de 1943 mas o da agencia somente em 19 de setembro de 1949. Funciona até hoje, sob a forma de AGC.

ERJ 1178 – Conceição da Ponte Nova (1873-1949)
ERJ 1179 – Cambiasca (1949-2000)
ERJ 1179A – AGC Cambiasca (2000 – )
ERJ 1180 – Valão dos Veados (1855-1861)
ERJ 1181 – Colonia (1891-2000)
ERJ 1181A – AGC Colonia (2000 – )
ERJ 1182 – AGC Valão dos Milagres (2013 – )


© 2011-2012 agenciaspostais.com.br (rev. novembro de 2021)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *