T02 – Império

TIPO “IMPÉRIO”

Padrão Nacional BR-02

Ao final do Império, grande parte dos carimbos já apresentava o estilo circular com datador. Vários desses tipos continuaram sendo utilizados nas primeiras décadas da República. Escolhi “Império” como alcunha pessoal por essas razões.

Agrupei nesta categoria três subtipos que estudiosos que me precederam classificaram como tipos independentes. Mas, como vocês poderão notar ao olhar as imagens, eles são muito semelhantes, com a diferença sendo a legenda inferior. São eles:

  • Subtipo [2a] – Sem Legenda: não trazem nenhuma informação na legenda inferior.
  • Subtipo [2b] – Com Legenda: as legendas são constituídas ou de algarismos (provavelmente as seções) ou alfabéticas, comumente indicando estação ferroviária. Existem vários tipos de grafismo, às vezes contendo o nome da ferrovia ou ramal.
  • Subtipos [2c] e [2d] – Com Florão: são caracterizados por um florão na legenda inferior. A grande variedade de florões existentes, alguns muito criativos, faz deles um interessante objeto de coleção. Não obstante, as agências tendiam a manter o uso de um particular florão por longo tempo, tornando-o uma característica auxiliar de identificação daquela localidade.  A diferença entre os dois tipos é o datador, sendo o [2d] modificado para acomodar os quatro dígitos do século XX. Circulou em todo o estado do Rio.

A quase totalidade desses tipos circulou em localidades do interior do Estado. São raras as agências da Capital que os utilizaram,  geralmente nos subúrbios.

Carimbologia pg6

A última linha mostra alguns tipos curiosos:

  1. Exemplar de São Sebastião do Rio Bonito de 1884 que ostenta um círculo externo duplo;
  2. Exemplar de Rio Claro, onde o círculo interno é duplo;
  3. Exemplar de Varre-Sai com florão em 1942, utilizado bem fora de época.

 

© 2013-2018 www.agenciaspostais.com.br – agosto de 2018

4 ideias sobre “T02 – Império

  1. Os florões existentes nestes carimbos merecem um artigo especial de descrição por serem muito bonitos e leves. Há dezenas senão uma centena de florões distintos. Abraço. Victor Petrucci

  2. Victor,
    concordo inteiramente. Assim que me sobrar um tempo, vou fazer um catado nos exemplares que possuo com florões e fazer um capítulo sobre isso.
    Abraços
    Paulo

  3. Primeiramente devo dar os parabéns a você Paulo e ao Petrucci por este trabalho tão significativo e importante para a nossa história postal. Eu, como mestrando em história dos selos postais ordinários de 1906 a 1964, tive em seu site uma seara com os seus estudos sobre carimbologia. Estou me esbaldando! Recentemente mudei-me para Itaguaí e a primeira coisa que fiz foi estudar sobre a origem da cidade e por isso acabei deparando-me com o seu site, para a minha sorte. Gostaria de um contato para tratar sobre carimbologia do início do Século XX. Obrigado.

    Romeu Natale
    www.http://selosdobrasil.forumeiros.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *