Barra de São Francisco

BARRA DE SÃO FRANCISCO TN

BARRA DE SÃO FRANCISCO

O distrito de Barra de São Francisco foi criado em 24 de junho de 1935 com sede na confluência dos rios Itaúna e São Francisco. Ocupava todo o extremo ocidental do município de São Mateus, a quem estava subordinado. Foi elevado a município em 31 de dezembro de 1943, com territórios desmembrados de São Mateus e de Conceição da Barra. Por estar na Zona Contestado, na divisa com Minas Gerais, teve ao longo do tempo profundas alterações em seu território devido a remarcação das divisas e desmembramentos de novos municípios.

**

Em laranja, o município de Barra de São Francisco na configuração de 1935 após o seu desmembramento dos municípios de Conceição da Barra (em amarelo) e São Mateus (em rosa). Na matéria sobre o Contestado mais abaixo apresento uma segunda versão desse mapa (Moraes, 1944), com as divisas atuais sobrepostas a ele.

O histórico de distritos

  • Barra de São Francisco (1935) subordinado a São Mateus. Município em 1943
  • Paulista (1949)
  • Poranga (1953)
  • Cachoeirinha de Itaúna (1963)
  • Monte Sinai (1963)
  • Itaperuna (1964)
  • Santo Antonio (1968)

Desmembrados pra formar o município de Agua Doce do Norte:

    • Agua Doce (1949)
    • Governador Lacerda de Aguiar (1964)
    • Santa Luzia do Azul (1988)
    • Santo Agostinho (1953)
    • Vila Nelita (1964)

Desmembrados para formar o município de Barra de S. Francisco

      • Ametista (1943) no mapa de 1944
        • Desmembrado (1948) para formar o município homônimo.
        • Destruída por uma enchente, teve sua sede transferida para o distrito de Mantenópolis em 1953
        • Distrito de Ametista transferido em 1963 para Minas Gerais.
      • Joeirana (1943) subordinado a Barra de São Francisco
        • Desmembrado (1948) para formar o município de Joeirana
        • Em 1956 o município foi renomeado Ecoporanga, permanecendo Joeirana como sua sede
        • Distrito transferido para Minas Gerais em 1963 (município de Ataléia)
      • Gabriel Emilio (1960)
        • Transferido em 1963 para o estado de MG (município de Mantena, do qual hoje é sede)

Ver matéria sobre o contestado mais abaixo

 


Planilha de agencias postais:

 

 


HISTÓRIA, CURIOSIDADES E IMAGENS


O Contestado (1900-1943) [1]

As divisas com Minas Gerais ao norte do estado sempre foram objeto de controvérsias. No início do século XIX assinou-se o acordo conhecido por “Auto de 1800” cujo texto apresentava dubiedades que permitiam grandes diferenças de interpretação. No início do século XX, a chegada da ferrovia Vitoria a Minas ao Rio Doce em 1906 e a construção da ponte em Colatina sobre o rio em 1928 [2] impulsionaram a colonização da região ao norte e os confrontos se tornaram mais explícitos.

Em 1904 os governos do ES e MG haviam assinado um acordo de divisas abrangendo todo o território ao norte do rio Doce até a divisa com a Bahia, estabelecendo como divisor a serra dos Aimorés. Isso gerou confusão pois as partes não atentaram para a existência de dois maciços com essa denominação. Entrementes, a fronteira agrícola mineira começou a descer os rios em direção ao mar, de encontro à expansão dos colonos vindos de Colatina, cujo território chegava até Barra de Itabapoana ao norte (em violeta no mapa Moraes abaixo).

A violência se exacerbou a partir da década de 1940 quando o Contestado sofreu grande explosão demográfica, quando fazendeiros e grileiros chegaram à região e, por meio de jagunços e pistoleiros, buscavam a posse das terras pela violência, com a participação das guardas estaduais. Tal situação alcançou maior notoriedade na área do atual Ecoporanga, onde a luta camponesa apresentou contornos mais brutais.

Finalmente, em 17 de setembro de 1963, os governadores de ambos os estados assinaram um acordo de divisas definitivo que permanece em vigor [3].

**

Para analisar o efeito das alterações de divisas trazidas pelo acordo, fiz uma superposição das divisas do mapa atual sobre o mapa Moraes de 1944. Os municípios que estiveram dentro da nona do contestado estão assinalados com um ponto azul correspondente à posição de suas respectivas sedes. Destes, quatro foram formados em terras de Barra de São Francisco e portanto foram afetados diretamente pelo acordo de divisas. São eles Ecoporanga, Agua Doce do Norte, Mantenópolis e, evidentemente,  o atual Barra de São Francisco.

Apesar das imperfeições dos mapas (e do meu traçado manual), dá para notar que o acordo de divisas impactou quase exclusivamente o antigo território de Barra de São Francisco (em laranja no mapa).

Notas e informações

[1] Bibliografia: tese de mestrado de Leonardo Z. Foletto (UFES, Vitoria 2019); matéria do Diário Digital Capixaba de 23/02/2021 e mensagem apresentada ao Congresso Legislativo do Estado do ES pelo Gov. Moniz Freire em 1903.

[2] A famosa ponte de Colatina sobre o rio Doce (Ponte Florentino Avidos, governador do ES entre 1924 e 1928) foi construída dentro do projeto da EF Norte do Rio Doce que pretendia ligar Colatina a São Mateus, passando por Nova Venécia. Esse último trecho foi de fato construído entre 1924 e 1929 e ficou conhecido como EF de São Mateus. Mas o restante da linha não se viabilizou e a estrada só avançou por 7 quilômetros e parou. Os trilhos da ponte foram arrancados e recobertos por tábuas de modo a permitir (e incentivar) a ocupação dos territórios ao norte.

[3] Matéria do J. Commercio RJ publicada nessa data.

 


Vale ainda mencionar dois municípios citados anteriormente que chegaram a existir temporariamente dentro do estado do Espírito Santo, desmembrados do então município de Barra de São Francisco.

Município de Ametista: o distrito de Ametista foi criado em 31/12/1943 e desmembrado de Barra de São Francisco em 24 de dezembro de 1948 para formar o município de mesmo nome. Nessa mesma data, os territórios de Mantenópolis e Limeira também foram desmembrados para compor o novo município, sendo Mantenópolis elevado a distrito. No início dos anos 1950 uma enchente do Rio São Mateus praticamente destruiu a cidade de Ametista. Decidiu-se então mudar a sede do município para Mantenópolis, que assumiu esse nome, em 29/12/1953. Como veremos na história do município de Mantenópolis, seus distritos de Limeira e Ametista foram transferidos para MG por força do acordo do Contestado de 15/09/1963.

Município de Joeirana: o distrito de Joeirana foi criado em 31/12/1943 e desmembrado de Barra de São Francisco em 24 de dezembro de 1948 formando o município de mesmo nome. No entanto, situado em região disputada pelos estados de Minas Gerais e Espirito Santo (o chamado Contestado), levou à formação e incorporação do distrito de Ecoporanga em 1953.

Com sua antiga sede ocupada por autoridades de MG, decidiu-se transferi-la para o distrito de Ecoporanga. Nesse momento, o município de Joeirana, com sede em Ecoporanga, compunha-se dos distritos de Ecoporanga, Cotaxé, Novo Horizonte, Joaçuba e Joeirana. Pouco tempo depois, no entanto, ato do governo do ES de 16 de outubro de 1956 renomeou o município como Ecoporanga. Por força do acordo sobre o Contestado em 1963, o distrito de Joeirana passou para MG, sendo incorporado pelo município de Ataléia. Curiosamente, o IBGE ao descrever a história política desse município, não menciona Joeirana nem o Contestado.

Ainda no bojo no acordo de divisas, o distrito de Gabriel Emilio é transferido para o município de Mantena-MG em 15/09/1963, do qual hoje é sede.

**

Agências postais:


Barra de São Francisco – Local 1 no mapa do alto da página


EES 201 – Barra de São Francisco (1950 –  )

Esta é a única das agências do município da qual tenho imagens. É lamentável, pois elas poderiam ilustrar melhor uma região de tão rica história.


© 2015-2022 www.agencias postais.com.br (atualizado em maio de 2022)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.