Agencias gêmeas Santo Eduardo

Duas localidades “Santo Eduardo” separadas pelo rio Itabapoana.

Paulo Novaes (*)

Resumo: separadas pelo rio Itabapoana, duas localidades Santo Eduardo – homônimas e vizinhas – tiveram ao longo do tempo suas sedes, estações ferroviárias e agencias postais nomeadas ora Santo Eduardo, ora Itabapoana, criando confusões e polêmicas sobre datas e locais. Uma em território fluminense, outra em território capixaba, chamam-se hoje Santo Eduardo no RJ e Ponte de Itabapoana no ES. O objetivo deste trabalho é contar sua curiosa história e documentar os principais eventos.

Parte 1. As origens

Pela margem direita (território fluminense) do rio Itabapoana um de seus afluentes é o Ribeirão ou Córrego de Santo Eduardo. Na confluência, desenvolveu-se a povoação de Santo Eduardo, elevada a distrito de Campos em 21 de novembro de 1861 pela Lei Provincial nº 1.225 [1].

Na margem esquerda, em território capixaba, desenvolveu-se o povoado também chamado Santo Eduardo. O IBGE e os mapas da época são um tanto omissos no registro desse topônimo, mas há referencias na imprensa e em documentos oficiais. Como veremos adiante na parte 3, há até registro oficial de criação de uma agencia postal no local.

Em resumo, existiram dois povoados homônimos e vizinhos às margens do rio Itabapoana; essa situação seria alterada com a chegada das estradas de ferro, como veremos ao longo deste trabalho.

Parte 2. As estradas de ferro: o trecho fluminense

As mudanças começaram com a construção da E.F. Macaé e Campos, que chegou a essa cidade em 1875. No entanto, já nessa época corriam planos para extensão daquela ferrovia com a construção da E.F. do Carangola, com ramais que previam atingir Minas Gerais a leste e o rio Itabapoana ao norte [2].

As obras começaram em 1878 e, chegando a Murundu, a ferrovia se bifurcou. A Linha do Carangola seguiu para oeste até o rio Muriaé onde foi inaugurada nesse mesmo ano a estação de “Cachoeiro” (mais tarde esse local seria renomeado Cardoso Moreira e viria a ser a sede de um novo município). Já a Linha ou Ramal do Itabapoana continuou para o norte, onde a estação final da linha, próxima ao rio e à povoação de Santo Eduardo, foi inaugurada em 13 de junho de 1879 [3] com o nome de “Itabapoana” [4].

Mas, por que Itabapoana? Talvez porque a linha se chamava Itabapoana e a estação ficava próxima ao rio, ou talvez pela proximidade das localidades vizinhas Santo Eduardo no RJ e no ES. Daí, para evitar problemas… é uma hipótese.

Vale ressaltar que a maioria das notas à época se referem à “estação de Santo Eduardo” – o que não é errado, pois ela é mesmo A estação EM Santo Eduardo. Isso se repete em quase todas as estações com nome diferente da localidade. Neste caso, a confusão será resolvida mais tarde, conforme veremos na parte 4.

Vejamos o que dizem os mapas. O geográfico de 1892 é claro: apresenta em vermelho o traçado da ferrovia e a estação “Itabapoana” ao lado de S. Eduardo em negrito. O geográfico do ES de 1886 repete essa informação. A estação ficava distante da povoação, de modo que havia um estafeta entre as duas [5] – veja abaixo, nessa nota de 1892, mais informações sobre a localização.

Mapa geografico de 1892, Mapoteca do IHGB. Em vermelho, as estações ferroviárias e, em preto, os locais.

Mapa geografico do Espirito Santo de 1886

 

Parte 3. A criação de agencias postais

A inauguração em 13/06/1879 [3] da estação de Itabapoana em Santo Eduardo sem dúvida impulsionou sua  atividade econômica como polo logístico, superando o polo vizinho de Limeira, a jusante no mesmo rio (veja o mapa de 1888). Como decorrência, é criada uma agencia postal na estação em 1879, cujo fac-simile reproduzo: [4].

Não encontrei a data exata de criação da agencia publicada em documento oficial dos Correios, mas uma nota na Gazeta de Noticias de 20 de setembro de 1879 afirma que “foi criada e acha-se funccionando uma agencia de correio na estação de Santo Eduardo (…)“. Foi a que adotei.

O mapa postal de 1888 abaixo também é explícito, mostrando a agencia de 3a. classe “Itabapoana” em rota de mala ferroviária.

Mapa Postal de 1888, hemeroteca da B.N. As bandeirinhas representam agencias postais e sua classe pelas listas. As ligações em linhas cheias representam linhas postais por ferrovia.

Carimbos da agência (coleção do autor)

Estação de Itabapoana – Santo Eduardo, Campos dos Goytacazes, RJ (1879-1893)

Curiosamente, uma segunda agencia foi criada também na homônima vizinha capixaba. O Relatório Postal copiado abaixo [6] traz no item 24 a agencia Santo Eduardo, freguesia, também de 3a. classe, criada em 27 de setembro de 1879 por portaria do DG dos Correios. Ou seja, quase na mesma data da fluminense. É uma coincidência estranha, mas a agencia aparece em vários documentos postais posteriores.

Carimbos da agencia “Santo Eduardo” no Espirito Santo

Santo Eduardo – Mimoso do Sul, ES (1879 – 1893)

Resumindo, temos duas localidades homônimas e vizinhas que, a partir de 1879, possuem ambas agencias postais:

  • Santo Eduardo (RJ) com agencia “Itabapoana” na estação
  • Santo Eduardo (ES) com agencia “Santo Eduardo” na povoação.

Isso mudará em 1893, como veremos na parte 5. Vale no entanto apresentar uma carta circulada um pouco antes, em dezembro de 1892, que confirma a situação descrita acima:

Uma carta reveladora

Notáveis fontes de pesquisa e informação são os objetos postais. Com relação ao nosso tema, apresento a imagem de um raro envelope gentilmente cedida pelo filatelista Fuad Ferreira Fº.

Trata-se de uma carta endereçada a Santo Eduardo, em S. Pedro de Alcantara.

Obs.: São Pedro de Alcantara (do Itabapoana) foi distrito de Cachoeiro do Itapemirim desde 1863 e elevado a município em 1887. Este  daria origem ao atual município de Mimoso do Sul (ES), onde está situada a referida localidade de Santo Eduardo, hoje Ponte de Itabapoana.

Seguimos o roteiro dos carimbos: postada na Corte em 20/11/1882 pela manhã, seguiu para Campos e de lá pela E.F. Carangola até o ponto final na estação de Itabapoana onde chegou cinco dias depois (carimbo E. de Itabapoana de 25/11/1882). Por estafeta, cruzou o rio até o povoado de Santo Eduardo no Espirito Santo onde chegou em 2 de dezembro (carimbo da agencia de Santo Eduardo, ES). Confirmando portanto as conclusões sobre as localidades – e estação – até essa data.

Parte 4. As estradas de ferro: o trecho capixaba

O projeto da EF Carangola sempre contemplou o trecho capixaba até o rio Itapemirim. O Decreto nº 6565 de 1877 já rezava: “Permitte á Companhia «Estrada de Ferro de Campos a Carangola» que prolongue o ramal de Itabapoana até o rio Itapemirim, na Provincia do Espirito Santo” [7].

A linha demoraria alguns anos para cruzar o rio. A Cia. EF Carangola foi vendida para a EF Barão de Araruama em 1890, que a repassou para a EF Leopoldina no mesmo ano. Finalmente, a Leopoldina deu início às obras, construindo as pontes sobre o ribeirão Santo Eduardo e o rio Itabapoana e, em 1º de fevereiro de 1893, inaugurando a estação “Itabapoana” a 2 km de Santo Eduardo-RJ,  em território capixaba. Essa data tem sido objeto de controvérsia, mas acredito os documentos abaixo não deixarão dúvidas:

DOC 1: Fac-simile da edição de 2 de fevereiro de 1893 do jornal A Republica. A nota reproduz um telegrama do dia 1º de fevereiro e se inicia ao pé da pagina na coluna 1 continuando no alto da coluna 2, ambas reproduzidas abaixo.

Telegrama de 1º de fevereiro

Edição de 2 de fevereiro de 1893 do jornal A Republica (Campos) 2ª parte da nota.

DOC2: Descrição das estações na linha Santo Eduardo – Cachoeiro do Itapemirim conforme documento publicado em 1910 [11]:

Mas, como é isso? Teríamos agora DUAS estações Itabapoana? Veremos na parte 5.

Itabapoana – Mimoso do Sul, ES (1893 – 1900)

Parte 5. A permuta de nomes das agencias

O Boletim Postal de abril de 1893 traz uma nota curiosíssima que informa a permuta de nomes das agencias do correio das duas localidades em 2 de março de 1893.

Apesar da recomendação do Director Geral para que o assunto fosse “communicado aos jornaes” não encontrei nada na imprensa sobre o assunto. O que é uma pena, porque, se ficou clara a permuta de nome das agencias, faltam informações sobre os nomes das estações e das localidades.

De qualquer modo fica subentendido que a permuta de agencias é resultado de decisões administrativas para evitar a duplicidade de nomes dos locais e estações. Os Correios foram os mais competentes em registrar as mudanças que lhe cabiam.

Do lado fluminense, fica implícito que a estação também mudou de nome. Para confirmar, quase todos os registros posteriores (até 1963) – inclusive os carimbos – indicam “estação”. Assim, a localidade, sua estação e sua agência postal são todas agora “Santo Eduardo”. Faz sentido.

Carimbos da estação de Santo Eduardo, agora com novo nome

Estação de Santo Eduardo – Campos dos Goytacazes, RJ (1893 – 1963)

Do lado capixaba as informações são escassas. Sabemos que nessa época o local já era conhecido por Ponte do Itabapoana, topônimo que aparentemente substituiu Santo Eduardo. Corrobora a tese o fato de que em agosto de 1896 o município com esse nome foi constituído e desmembrado de São Pedro do Itabapoana [9]. Note também que o nome está mencionado ao lado de Santo Eduardo no Indicador Postal de 1900; imagem logo abaixo [9].

Quanto à agencia, a mesma fonte [8] já traz Ponte de Itabapoana como agencia de 3a. classe. Veja:

Carimbos de Ponte de Itabapoana, ES (coleção do autor)

Ponte de Itabapoana -Mimoso do Sul, ES (1900 – 1999)

Assumindo esses pressupostos, teríamos:

  • Santo Eduardo (RJ) com agencia “Santo Eduardo” na própria na estação “Santo Eduardo”.
  • Ponte de Itabapoana (ES) com agencia “Ponte de Itabapoana” na estação “Itabapoana”.

Parte 6. Como estamos hoje?

O mapa abaixo mostra a localização das duas estações ferroviárias. Foi  editado sobre imagem e informações de localização do Wikimapia em 2019.

A agência ERJ 254 – “Estação de Santo Eduardo” em Campos dos Goytacazes foi renomeada ERJ 255 – “Santo Eduardo” em 1963 (Guia Postal da mesma data) [10] e desativada em 2018 (site Agencias Postais).

Carimbos de Santo Eduardo, agencia na cidade (coleção do autor)

Santo Eduardo – Campos dos Goytacazes (1963- 2018)

A agencia de Ponte de Itabapoana em Mimoso do Sul funcionou como AC até 1999 e hoje permanece ativa como uma AGC (site Agencias Postais) Infelizmente não possuo imagem de carimbos.

A linha ferroviária está parcialmente desativada e funciona apenas para cargas. Ambas as cidades são sede de distritos em seus respectivos municípios.

foto de Nayra Francisco 2018

Ponte do Itabapoana Google Street View 2011


Notas e Bibliografia

As imagens de selos e carimbos são todas extraídas do site agenciaspostais.com.br

[1] IBGE:  https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/campos-dos-goytacazes/historico

[2] Decreto nº 6.118 de 9 de fevereiro de 1876. “Concede a garantia de juros de 7 % ao anno ao capital addicional de mil contos de réis destinado á construcção da estrada de ferro do Carangola e seus ramaes”.

[3] Data citada na revista do IHGB de 1906 (imagem abaixo) e também no site “Estações Ferroviárias do Brasil” por Ralph Giesbrecht.

Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Brasil, tomo LXVII parte 2 (1906). Artigo Chorographia Fluminense em 1896, pg. 263, por Antonio José Caetano da Silva.

[4] A agencia postal “Itabapoana, estação” aparece listada no estado do Rio de Janeiro na “Tabella das Agencias do Correio do Imperio” publicada em 1885 e aprovada por aviso ministerial de 24 de novembro de 1884. Essa tabela confirma 1879 como a data de sua criação. (Lembro que a linha só avançaria em território capixaba em 1893).

[5] Prova da agencia Santo Eduardo estar na estação é a menção de “estação” em praticamente todos os carimbos das agencias ERJ 253 e ERJ 254. A nota de O Tempo de 8 de agosto de 1892 sobre o estafeta entre “a estação de Itabapoana e Santo Eduardo” (Hemeroteca da B.N.) também confirma a agencia na estação.

O Tempo, ed. 8/8/1892

Gazeta de Noticias 7/2/1890

A distância da estação à povoação varia conforme a fonte e a época. Minha hipótese é que a povoação era mais distante da estação quando esta foi construída, já que seria um porto fluvial. Por outro lado, a linha originalmente parou, e a estação foi construída, antes de cruzar o ribeirão Santo Eduardo como mostra o mapa atual mostrado na parte 6. Com o tempo, a estação passou a atrair o desenvolvimento e hoje a cidade a envolve.

A nota de 1890 da Gazeta de Noticias revela a importância da estação, onde aconteceu a recepção, com os “habitantes do povoado” se deslocando para lá. (fonte: hemeroteca da B.N.) A nota informa ainda a distância de 2,5 km do povoado à estação.

[6] Relatorio dos Correios de 1888 pag.166 – Relação das agencias do Espirito Santo.

[7] Decreto nº 6.565 de 9 de maio de 1877 (contem 4 clausulas) assinado pela Princeza Imperial Regente.

[8] Ponte de Itabapoana foi elevado a município em 6 de agosto de 1896 pelo Decreto nº 64, desmembrando-se de São Pedro do Itabapoana. Referencia de data em https://geocostan.webnode.com.br/historia/historia/distritos/. O município foi extinto em 1930 voltando a se incorporar a São Pedro, hoje Mimoso do Sul (IBGE).

[9] Indicador Postal Brasileiro publicado por Laemmert & Cia em 1900 no Rio de Janeiro. Possui duas partes de nosso interesse: “Repartições Postaes da Republica” – uma lista de agencias de todo o país, com seu estado e classe. A segunda, “Linhas do Correio que seguem por estrada de ferro”.

[10] É bastante comum que as agencias postais mudem de endereço ao longo do tempo e portanto não costumo registrar o fato e muito menos alterar o numero de referencia como fiz neste caso, de ERJ 254 para 255. Essa decisão foi baseada no fato de que houve mudança oficial na nome da agencia que valeu menção no GP de 1963. Minha hipótese é que a cidade cresceu em volta da estação que, por sua vez, teve seu movimento de passageiros muito reduzido com advento do transporte rodoviário.

[11] Estatistica das Estradas de Ferro da União e das Fiscalizadas pela União relativa ao anno de 1910 . Ministerio da Industria Viação e Obras Publicas 1913.


(*) Paulo Novaes é filatelista e editor do site indicado abaixo

© 2016-2019 www.agenciaspostais.com.br (nova versão revisada e ampliada em maio de 2019)