Linha 1 Ambulantes

A linha-tronco da E F D. Pedro II – Linha do Centro – nº 1 em azul no mapa – é de longe a maior usuária de carimbos ambulantes no estado do RJ.

Para Linha 1 programei  paginas separadas para o correio ambulante e para as agencias ferroviárias pela quantidade ao longo da linha (cerca de 80 estações com agencia postal). O mapa destaca a linha do Centro em azul marinho sem os ramais de S.Paulo e de Porto Novo do Cunha que estão apresentados separadamente.

***

Devido ao grande volume, eu dividi a apresentação em quatro partes, a saber:

Parte 1 – Carimbos “Correio Ambulante / Linha do Centro” (1879-1900)
Parte 2 – Carimbos “TRENS S” (1883-1908)
Parte 3 – Carimbos “IDA e VOLTA” (19
Parte 4 – Subúrbios

Recomendo paciência para enfrentar essa enorme variedade de tipos…


Parte 1 – Carimbos “Correio Ambulante / Linha do Centro” (1879-1900)


Tipo AMB 1 – Rio de Janeiro – C.A. (1879)

O primeiro carimbo ambulante da linha 1 que conheço é o da (infelizmente para minha coleção) reprodução sobre carta com carimbo tipo 1a. Esse tipo de carimbo tem o mesmo layout do francês, com legenda C.A. ao invés de (*). Eu o classifiquei no capítulo carimbologia deste site com T1a, de fato o único que desse tipo que conheço.

O envelope foi postado na Corte em 1879 (dia e mês ilegíveis, mas possivelmente grafado em francês, o que é uma das variantes do carimbo francês) com destino à estação da Boa Vista em Resende no Ramal de S. Paulo, quase na divisa de S. Paulo, cuja estação e agencia postal são de 1873. Eu não a classifiquei na Linha 11 (Ramal de S. Paulo) porque o correio ambulante específico daquela linha só seria implantado décadas mais tarde, como se constata na Linha 11.

 

Tipo AMB 2 – Rio de Janeiro (C.A.) 1880-1881

Esse tipo é semelhante ao anterior, tendo como diferencial as letras CA entre parênteses. São dois subtipos, que se distinguem pelo espaçamento dos tipos da legenda superior.

Tipo AMB 3 – Correio Ambulante (1883)

A data faz sentido e embora a legenda não faça referencia ao Rio de Janeiro, os tipos posteriores mantém essa mesma legenda.

Tipo AMB 4A – Correio Ambulante Rio de Janeiro (1884)

Eu só tinha conhecimento do tipo seguinte pelo PA 1699. Até que recebi do colega Piccinini a imagem sobre emissão de 1883 que corrobora a data de 1884 embora o carimbo infelizmente não a apresente. O layout é muito particular e só conheço um semelhante na 3a. seção do Correio Central também circulado em 1884 (CRJ 125A). Podem existir carimbos de outras turmas, também.

Tipos AMB 5 – Correio Ambulante EFDP2º Linha do Centro (1887-1888)

Esse carimbo meio exótico só tem similares no Ramal de Porto Novo da mesma ferrovia. No entanto, estes têm posição vertical e legenda acompanhando o ramal.

Tipos AMB 10 – C. Ambulante Rio de Janeiro (1889-1890)

Tipos de formato grande com 33mm em três turmas, circularam no finalzinho do império.

Tipos 11 – C. Ambulante Capital Federal (1890-1891)

Os primeiros emitidos pela república indicam a intenção de marcar os novos tempos colocando “Capital Federal” ao invés de Rio de Janeiro. Parece que também usaram para isso o formato grande antigo pois os tipos 12, 13 e 14 como veremos a seguir já estavam usando o clássico layout de 24 x 13mm mesmo depois da república.

Por isso, são meio confusos, com a nova legenda ora em cima, ora embaixo. O primeiro, que numerei 11, é ilegivel e tem o desenho imperial de 500Rs com a legenda republicana. O segundo nº 11B é datado de fevereiro de 1891, data posterior aos tipos 12, 13 e 14 que, como veremos, retornam ao formato clássico de 24 x 13mm. Enfim, estão aí apresentados.

Tipos AMB 12 C. Ambulante – L. do Centro (1888-1889)

Esse tipo inaugura definitivamente o uso de Linha do Centro nas legendas, bem como a volta ao formato classico 24 x 13 mm.

A carta-bilhete permite reconstruir o trajeto pela linha do centro desde Juiz de Fora ao Rio de Janeiro, onde transitou para ser expedida ao exterior.

Tipos 13 – Rio de Janeiro – ( _ªT. do C.A.) (1888-1891)

Tipos 14 – Linha do Centro – C. Ambulante (1890-1891)

Linha do Centro na legenda superior.

Tipos 15 – L. Centro – C. Ambulante (1891-1892)

Tipos 16 – L. do Centro – C. Ambulante (1894)

Fechando três tipos iguais com diferentes grafias de linha do centro.

O Bilhete Postal mostra o trajeto pela linha do centro desde Ouro Preto (MG) até o destinatário no centro do Rio.

Tipos 17 – L. Centro – C. Ambulante (1894)

Trata-se de um simpático carimbo oval de formato exótico.

Tipos 20 – AMBULANTE – CENTRO (1895-1897)

Realmente, não entendi bem o motivo de tantos carimbos no mesmo serviço. Neste caso, o formato muda para o pouco usual 29 x 15mm que praticamente só circulou nas linhas da EFCB.

Tipos 21 – Ambulante – Centro (1900)

Último tipo da linha 1, já com datador de 4 dígitos.

 


Parte 2 – Linha do Centro – Carimbos “TRENS S” (1883-1910)


São os que possuem “S” ou na legenda superior ou na inferior.

Os chamados trens “S” (Serra ou Expresso) circulavam pela Linha do Centro, inicialmente no trecho Rio – Juiz de Fora. Os de numeração ímpar (S1 a S7) seguiam na direção do Interior e os de numeração par (S2 a S8) na direção da Corte.

A classificação da parte 2 obedece aos 7 tipos (veja as diferentes legendas) que circularam até 1910 quando foram substituídos pelos Ida  & Volta.

Quadro de tipos

Para ajudar, copio imagem com os sete tipos em conjunto

Vou apresentar os carimbos na sequencia dos tipos, que praticamente obedecem ordem cronológica. Assim, no tipo 1 apresento os trens de 1 a 6, depois o tipo 2 de 1 a 6 e assim por diante (o tipo 5 é o mais completo).


Tipo 1

  • Trem S-4 – AMB 45 Correio Ambulante (1883)


Tipo 2 

  • Trem S-4 – AMB 47 C. Ambulante S-4 (1889)


Tipo 3

  • Trem S-4 AMB 49 Serviço S-4 (1892-1895)

É o único tipo de carimbo no qual o número do trem está na legenda superior.


Tipo 4 

  • Trem S-2 AMB 51 Ambulante (1897-99)

  • Trem S-4 AMB 53 Ambulante (1895-1899)

A Carta-BIlhete de 1895 nos permite estabelecer o roteiro pela linha do Centro. Foi postada em Campanha (MG) no dia 9 e endereçada a uma cx postal no centro do Rio, onde chegou no 10.

 


Tipo 5 

  • Trem S-2 AMB 55  Amb.te Rio (1903-1905)

  • Trem S-3 AMB 56 Amb.te Rio (1903)

  • Trem S-4 AMB 57 Amb.te Rio (1900-1904)

  • Trem S-5 AMB 58 Amb.te Rio (1900)

  • Trem S-6 AMB 59 Amb.te Rio (1904)

O bilhete postal nos informa que a peça foi postada em Valença, provavelmente desceu pela EF União Valenciana até Barão de Juparana na linha do centro e trafegou pelo correio ambulante chegando no mesmo dia ao correio central.


Tipo 6

  • Ambulante S-2 AMB 60 Rio de Janeiro (1907-1909)

Bilhete postal postado em Mendes no dia 28.10, com destino ao centro do Rio, trafegou pelo ramal de S.Paulo no mesmo dia.

  • Ambulante S-4 AMB 62 Rio de Janeiro (1908)

  • Ambulante S-6 AMB 64 Rio de Janeiro (1908-1909)

Bilhete Postal postado em Sete Lagoas MG com destino ao centro do Rio trafegou pelo ambulante do trem S6


Tipo 7

  • Ambulante S-6 AMB 64 Ambulante Rio (1918)

Bilhete Postal postado em Lages, ramal de Paracambi, que faria conexão com a linha do centro em Belem onde embarcaria no ambulante “S” para a corte, de onde seria exportada. Altamente colecionável pelas singularidades do local de postagem, data posterior e um raro tipo de ambulante * S *.


Parte 3 – carimbos “IDA e VOLTA” (1910 – 1933)


Esses carimbos são sui-generis ao explicitar o sentido da viagem através da legenda ida & volta ao invés das dígitos pares e ímpares dos tipos precedentes, dos quais – a julgar pelas datas – são aparentemente sucessores. Consegui encontrar algumas pistas dos significados dos códigos de letras em notas da imprensa da época, que consolidei na tabela abaixo. As células em marrom são tipos que possuo na coleção.

Observação: embora alguns tipos possam ser atribuídos especificamente às linhas 9 (Ramal de Porto Novo) e11 (Ramal S. Paulo) eu as apresentarei aqui pela semelhança.

Quadro de tipos 

Dois grandes blocos são os de “ida” (direção ao interior) e “volta” (direção ao centro).

Para efeito didático na apresentação, eu os agrupei em 5 tipos cuja base é o tipo de carimbo utilizado, o que aproximadamente segue a ordem cronológica de circulação.

Os três primeiros tipos são distintos somente pela grafia da legenda “volta” (sendo que o tipo 3 só aparece depois nos carimbos da “ida”).

 

 


Imagens dos tipos “VOLTA” 


São os tipos mais comuns, já que o correio central faz a conexão com as demais províncias e o exterior do país.

VOLTA Tipo 1 carimbos T4d (repetindo o quadro apresentado acima)

Tipo AMB 170  E.M. – RIO (1915)

O bilhete postal chileno apresentado abaixo, cheio de carimbos, tem seu trajeto descrito no município de Engenheiro Paulo de Frontin – onde está apresentada a peça original (ERJ 447). Vale a leitura.

  • Tipo AMB 171  E.P. – RIO (1910-1914)

  • Tipo AMB 172  N.M. – RIO (1914)

  • Tipo AMB 173  N.P. – RIO (1910-1912)

  • Tipo AMB 174  P.N.- RIO  (1911-1916)

  • Tipo AMB 175  R.M. – RIO (1913-1915)

  • Tipo AMB 176  R.P.-RIO  (1911)

***

VOLTA Tipo 2 carimbos T4d (repetindo o quadro apresentado acima)

  • Tipo AMB 180  E.M.-RIO (1917-1921)

  • Tipo 181  E.P.-RIO (1917-1924)

  • Tipo AMB 182  N.M.-RIO (1917-1918)

  • Tipo AMB 183  N.P.-RIO (1917-1920)

  • Tipo AMB 184  P.N.-RIO (1918)

  • Tipo AMB 185  R.M.-RIO (1917-1918)

  • Tipo AMB 186 – R.P.-RIO (1917-1921)

***

VOLTA Tipos 4 e 5 carimbos T4d

(repetindo o quadro apresentado acima e lembrando que o tipo 3 só há na IDA)

  • Tipo 190  N-2 RIO (1926)

  • Tipo 191  N-P-4-RIO (1928)

  • Tipo AMB 195 – A-2-RIO (1931)
  • Tipo AMB 197 – N.P.3 (incompleto)


Imagens dos tipos “IDA” (AMB 200 a 235)


Estes têm variedade muito menor que os anteriores, pois trata-se da direção para o interior com menor trânsito de correspondência. Apresento novamente o quadro de tipos igual ao da Volta.

  • Tipo AMB 200  E.M.-RIO (1913) TIPO 1

  • Tipo AMB 213 N.P.-RIO (1917-1920) TIPO 2

  • Tipo AMB 214  P.N.-RIO (1911) TIPO 2

  • Tipo AMB 215  R.M.-RIO (1911) TIPO 2

  • Tipo AMB 221  N.M.-RIO (1918-1925) TIPO 3

Relembrando que só conheço esse tipo com estrelinhas na IDA

  • Tipo AMB 235 R.P.-4 – RIO (1933) – TIPO 5

 


Parte 4 – Subúrbios


A partir de 1861, para atender à crescente demanda por transporte local entre o centro e os subúrbios do Rio, começaram a circular, entre as estações da Central e Cascadura, os trens “SU” (Subúrbio) e, mais tarde os trens “SS”. Não está muito clara a abrangência geográfica dos carimbos de subúrbio, que por sinal são escassos.

Acredito que estamos falando das linhas até os retornos de Madureira e Pavuna ou ainda do Ramal de Santa Cruz, todos dentro do distrito federal e por isso mais raros. O serviço deve ter operado por pouco tempo.

Quadro de tipos de subúrbio

 Imagens de carimbos ambulantes subúrbios

 


©2014-2023 agenciaspostais.com.br – rev novembro de 2023

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *