2ª Secção

2ª SECÇÃO DO CORREIO CENTRAL (1884 – 1955)

A 2a. Secção foi a mais prolífica em carimbos. Tenho registrados mais de 400 tipos em suas diversas fases. Material até para uma coleção temática…

Império (1880-1889)

O decreto imperial de 1865 apresenta pela primeira vez uma estrutura organizacional em quatro seções. Nele, coube à 2ª Seção a responsabilidade pela tesouraria e pelo serviço de registro. Este último, uma novidade introduzida pela primeira vez nesse decreto. Carimbos de registro aparecem por volta de 1880.

No decreto 4743 de 23 de junho de 1871, a tesouraria é incorporada à 1ª Seção e passam a ser atribuídas à 2ª as atividades operacionais de coleta e distribuição da correspondência. Os primeiros carimbos regulares da seção aparecem por volta de 1884. O decreto de 1888 manteve as mesmas atribuições e há carimbos até o final do império.

Diferentemente de outras seções, nenhum tipo do império sobreviveu à República, o que explica o motivo de nesta seção não haver registro do tipo de transição que se encontra em outras seções do império.

República, primeira fase (1891-1894) “Capital Federal”

O primeiro decreto da Republica de 1890 também não altera suas atribuições. Logo a seguir, aparece uma série original de carimbos com a legenda “Capital Federal” que circulou de 1891 até 1895.

O Decreto de 1894 traz um novo regulamento postal; nele, o numero de seções é ampliado de quatro para oito e a 2ª Seção passa a responder por atividades administrativas. Dessa forma, não circularão carimbos pelos próximos 15 anos.

República, segunda fase (1910-1945)

Eles só voltarão a circular após a publicação de novo Decreto, em 1909. Nele, as atribuições da seção voltaram a ser operacionais, abrangendo a recepção e distribuição da correspondência ordinária.

Assim, já em 1910 aparecem carimbos mecânicos obliteradores com flâmula (tipo D1a), sendo a 2a. seção uma das precursoras no uso dessa nova tecnologia

Os primeiros carimbos regulares surgem em 1914; são os originais “Barras Duplas” (tipo 5d), utilizados em três distribuições diárias. Prolíficos, circularam até aproximadamente 1929.

O decreto seguinte tem o nº 14.722 de 1921 e inclui um novo Regulamento. Embora não traga mudanças expressivas à 2ª. Seção, pode ser a origem do aparecimento dos carimbos circulares que chamei de “Regulares” (tipo 4b). Eles aparecem em quatro turmas entre 1925 e 1927. São bastante difíceis de encontrar.

O grupo seguinte de regulares tem dimensões maiores (tipo 10) e circularam amplamente em quatro turmas e, em seguida, em três períodos. São encontrados de 1930 a 1945.

Tipos especiais e de serviço

    • Expressas: o serviço atribuído à 2ª Seção pelo Regulamento de 1921 utilizou carimbos específicos de 1928 a 1942, quando a responsabilidade passou para a 4ª Secção.
    • Aéreo: carimbos de serviço aéreo são bastante comuns entre 1930 e 1932, quando a Portaria de 1933 criou a 9ª Secção com a atribuição do serviço aéreo.
    • EXP-SUC“: confesso não ter ideia do significado; nada encontrei nos Regulamentos Postais. Fica o registro para posterior esclarecimento.
    • Conferência: do regulamento: “recebimento, abertura e conferencia de malas destinadas ao Rio de Janeiro (…)”
    • Assinantes: regulares circulados entre 1928 e 1940 e mecânicos propagandísticos entre 1940 e 1942.

Carimbos mecânicos obliteradores (1910-1947)

Como já mencionado acima, os carimbos mecânicos obliteradores foram pioneira e largamente utilizados pela 2a. Secção. Pode ser observado pelas imagens abaixo que a quantidade de tipos rivaliza com a dos carimbos circulares.  Há dois tipos principais: os obliteradores e os propagandísticos (consulte menu carimbos mecânicos para mais detalhes sobre a historia desses tipos de carimbos).

Carimbos mecânicos propagandísticos (1926-1951)

Esse tipo particular de carimbo obliterador apresenta mensagens publicitárias acopladas ao datador circular. A 2a.Secção foi uma das primeiras a utilizá-lo no Brasil e provavelmente a que fez uso mais extensivo, com uma série de tipos utilizados até 1951  (ver no menu principal carimbos mecânicos para maiores detalhes sobre a historia desses tipos de carimbos).

Ambos carimbos mecânicos foram os únicos utilizados após 1942, data em que a 4a. seção tornou-se quase monopolista das atividades operacionais com os tipos  Coleta (vide).

TABELA DE TIPOS DA 2A. SECÇÃO

Na tabela abaixo, apresento resumidamente os tipos de carimbos, os períodos em que foram utilizados e a sequencia cronológica em que as imagens serão apresentadas.

 

 

IMAGENS DE CARIMBOS DA 2A. SECÇÃO 

2A. SECÇÃO IMPERIO – TIPOS REGULARES

Esses carimbos apresentam grande variação de tipologia e formatos. Uma tabela tenta representar a catalogação das principais variedades da legenda (2A.)

2A. SECÇÃO – IMPERIO, SERVIÇO REGISTRADO

O serviço de registro foi criado no Decreto nº 3.443, de 12 de Abril de 1865, incluindo a remessa de fundos através de cartas registradas. Reproduzo alguns trechos:

Art. 8º A segunda Secção comprehende: (…) inciso 4º – O serviço das cartas registradas.

Art. 15. Fica estabelecida a classe de – Cartas registradas – as quaes mediante o pagamento de 200 réis, além do respectivo porte, serão relacionadas nominalmente, dando-se ao expedidor um conhecimento, e competente recibo do destinatário depois de feita a devida entrega. A repartição do Correio, porém, não responde por qualquer extravio que possa ter lugar de cartas registradas.

Art. 28. As taxas de porte e do registro da correspondência serão sempre pagas em sellos.

Os primeiros exemplares que possuo, no entanto, são de 1878 e os últimos de 1887. Razão para isso está no Regulamento de 26 de março 1888 que realoca o serviço na 3a. secção:

Art. 107. O Correio do Rio de Janeiro será administrado pela Directoria Geral e dividir-se-ha em quatro secções denominadas: 1ª de recebimento, 2ª de distribuição, 3ª de registro, 4ª de expedição.


Imagens dos carimbos de Registro (vale ressaltar alguma imprecisão nas dimensões dos carimbos pois a maioria das imagens são de reproduções)

2A. SECÇÃO – TIPOS “CAPITAL FEDERAL”

 

2A. SECÇÃO – TIPO “BARRAS DUPLAS”

2ª SECÇÃO – REGULARES


Recentemente, o envelope a seguir me chamou a atenção por uma série de curiosidades. Foi postado e registrado (R nº 759) em 12/06/44 na agencia central e endereçado ao bairro de São Cristóvão. O carimbo de recepção no verso em 13/06 é da agencia da Praça da Bandeira, sob cuja responsabilidade está a rua General Canabarro. Até aqui, tudo certo. Mas vamos examinar alguns detalhes.

  • O certificado de registro tem carimbo do Serviço Aéreo, turma da tarde. Para um roteiro urbano é muito estranho.
  • O envelope é comemorativo e os selos também, praticamente um de 1º dia de circulação. Para filatelista ver.
  • O carimbo de postagem é da 2a Secção 2a.T do Correio Central. Em meado dos anos 1940, sua atribuições seriam a distribuição da correspondência regular e o serviço expresso. O registro estaria com a 6a Secção.

Mantenho na coleção para registrar o que a 2a. secção ainda fazia na época. Meses depois, a Portaria 335 de 19 de março de 1946 extinguiria suas atividades operacionais e ela passaria a “Serviços Econômicos e Financeiros”.

 2ª SECÇÃO – SERVIÇO EXPRESSO

 

2ª SECÇÃO – AÉREO

2ª SECÇÂO – EXP/SUC & CONFERÊNCIA

Vale ressaltar que, no momento em que escrevo, não tenho informações suficientes para descrever o envelope com carimbo EXP-SUC.

 

2ª SECÇÃO – ASSINANTES 

 

2ª SECÇÃO – CARIMBOS MECÃNICOS OBLITERADORES

Esse tipo de carimbo, resultado da adoção de máquinas de obliteração, foi largamente utilizado pela 2ª secção entre 1910 e 1944

2ª SECÇÃO – CARIMBOS MECÃNICOS PROPAGANDÍSTICOS

Usados entre 1926 e 1951 pela 2ª Secção que se revelou a maior usuária desse tipo de carimbo entre todos os departamentos postais do estado. Nada menos de 21 tipos, apresentados nas próximas 19 páginas.

© 2012-2021 www.agenciaspostais.com.br – atualizado abril de 2021

1 pensou em “2ª Secção

  1. Caro Paulo
    Vivendo e aprendendo. Uma curiosidade interessante que aprendi apenas agora. Até hoje eu sempre tive como certo que as indicações 1a. D, 2a. D, 3a. D e 4a. D se referissem a Diretorias quando na verdade indicam as quatro distribuições diárias que existiam em grandes agências do Rio de Janeiro às 9, 11, 15 e 18 horas. Com o passar dos tempos houve a substituição da 1a. D e 2a. D pela expressão MANHÃ, a 3a. D por TARDE e a 4a. D por NOITE. Realmente, por que existiriam tantas diretorias?

    Abraço carimbológico

    Victor Petrucci

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *