Quissamã

quissama

MUNICÍPIO DE QUISSAMÃ

Sua origem é antiga, estando ligada ao Curato existente na localidade de Furado, criado em julho de 1692. Em 1749 foi estabelecida no local a Freguesia de Nossa Senhora do Desterro de Quissamã, com subordinação a Macaé. Em 12 de janeiro de 1755 foi renomeada para Freguesia de Quissamã. Dois séculos mais tarde, em 4 de janeiro de 1989 é emancipado e desmembrado de Macaé sob o nome de Município de Quissamã.

AGÊNCIAS POSTAIS

quissama-tab

HISTÓRIA, CURIOSIDADES E IMAGENS DE AGÊNCIAS

SANTA FE DE MACABU & ENTRONCAMENTO DE QUISSAMÃ

quissama-est-conde-de-araruama

A primeira menção a Santa Fe de Macabu que disponho trata da criação de uma agencia postal em 30 de julho de 1869. Em 1875 a EF Macaé e Campos chegava à localidade, onde inaugurou uma estação. Em 29 de dezembro de 1886 tenho o registro de que a agencia passou a denominar-se Estação do Entroncamento. De fato, em 23 de janeiro de 1879 tinha sido construída a EF Barão de Araruama que se entroncava nessa estação, justificando seu nome. Finalmente, em 5 de agosto de 1897 o nome de agencia foi alterado para Conde de Araruama, seguindo o nome atual da localidade. A agencia fechou por volta de 1985.

Uma segunda versão está apresentada por R. Koester em seu trabalho Carimbologia do Brasil Clássico. Transcrevo o texto do verbete Entroncamento: “A estação de Santa Fé esteve situada no km 50 da Macaé a Campos, tendo sido fechada para ser inaugurada a de Entroncamento no km 46,94”.

Não tenho elementos para checar essa tese. Uma análise do wikimapia não mostra sinais de nenhuma povoação nas redondezas, com exceção da parada de Macacos, já em Campos, e que coincidentemente fica a 3km.

O ENGENHO CENTRAL DE QUISSAMÃ

 

Penso que vale, pela sua importância histórica, explorar um pouco mais a região. De fato, vimos acima que a pequena Santa Fé foi de repente atravessada pela EF Macae a Campos em 1875 e escolhida para estação inicial da EF Barão de Araruama em 1879, A ferrovia possuía um ambicioso projeto de se entroncar com a EF Cantagalo no vale do Paraíba, após atravessar Trajano de Morais. Em tempo: ela só chegou a Trajano.

No início do século XIX a família  Carneiro da Silva, ligada ao clã do Visconde de Araruama, possuía sete engenhos de açúcar em fazendas na região, funcionando isoladamente. Os “engenhos centrais” foram uma evolução dessa indústria, processando, em uma usina central, o produto de diversos fornecedores. O Engenho Central de Quissamã foi inaugurado em 12 de setembro de 1877 como o primeiro engenho cooperativado do Brasil, com a ilustre presença de Dom Pedro II e da Imperatriz.

Era a época da revolução Industrial e das estradas de ferro. A própria companhia se encarregou de construir em 1878 um ramal ferroviário de 35 km ligando Conde de Araruama ao Engenho e também a Quissamã. Diversos sub-ramais a conectavam com os maiores produtores. Chegou a operar três locomotivas, das quais duas podem ainda ser vistas nas ruínas do engenho, desativado nos anos 1980. A imagem acima (do site mapadacachaca.com.br) mostra a torre do relógio e o lema da companhia.

A FAZENDA MANDIQUERA

Selecionei essa fazenda como representante da imponência das sedes das antigas propriedades (imagem: www.mapadecultura). O palacete ficava próximo à ferrovia e não distante do engenho central. Não por acaso, foi erguido nessa mesma época, 1875. Foi residencia de Bento Carneiro da Silva, Conde de Araruama, filho mais velho do 1º Visconde de Araruama, a cujo casamento compareceu também o Imperador. Está sem moradores desde os anos 1930.

 

Carimbos de Quissamã

erj0160b-quissama erj0161-quissama © 2011-2016 www.agenciaspostais.com.br (atualizado em dezembro de 2016)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *