Quissamã

MUNICÍPIO DE QUISSAMÃ

Ver ERJ 1020 mais abaixo.

AGÊNCIAS POSTAIS

REDE FERROVIÁRIA

A agencia de Santa Fé de Macabu (e a respectiva estação) foram objeto de interessante controvérsia. Assim acrescentei a linha 46 que se entroncava com a Macae e Campos e faz parte da discussão (veja história e mapa apresentados abaixo na ERJ 1023).


HISTÓRIA, CURIOSIDADES E IMAGENS DE AGÊNCIAS


ERJ 1020 – Quissamã

A mais antiga freguesia da região teve origem no Curato Nossa Senhora do Desterro que foi criado em 1694 na fazenda do capitão Luís de Barcelos Machado na “ilha” do Furado na Lagoa Feia, aproximadamente no local assinalado com um circulo preto. Em 1732 a sede da fazenda foi transferida para a localidade de Capivary.  A capela também transferida foi elevada a igreja-matriz e originou a Freguesia de Nossa Senhora do Desterro de Capivary criada em 1755. A igreja-matriz  estava em ruínas quando foi transferida em 1795 para a capela situada no interior da Casa da Fazenda Mato de Pipa de propriedade do capitão Manuel Carneiro da Silva. Seus descendentes edificaram uma nova igreja-matriz, concluída em 1815, que deu origem à nova freguesia de Nossa Senhora do Desterro de Quissamã (circulo vermelho A no mapa; o texto é baseado no verbete Quissamã da Wikipédia).

Elevado à categoria de município com a denominação de Quissamã, pela lei estadual nº.1419, de 04-01-1989, desmembrado de Macaé. Sede no antigo distrito de Quissamã. Com área do distrito de Quissamã e parte do distrito de Carapebus. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1990 (IBGE).


ERJ 1021 – Santa Catarina (1963 – não-instalada)
ERJ 1022 – AGC Santa Catarina (2006- )

Santa Catarina é bairro na região rural de Quissamã. Não tenho imagens.

ERJ 1026 – AGC Barra do Furado

Limite com Campos, o canal do Furado e à esquerda a localidade de Barra do Furado.


ERJ 1023 – Santa Fé de Macabu, estação
ERJ 1023A – Santa Fé de Macabu (Novo local)
ERJ 1024 – Entroncamento, estação
ERJ 1025 – Conde de Araruama, estação

A controvérsia sobre a estação de Santa Fé do Macabu

A E F Macaé e Campos foi autorizada pela Lei 1464 de 1869. A primeira “secção”, entre Imbetiba e Carapebus, foi inaugurada em 02/08/1874 e a segunda, “até a estação de Macabu” (como referida no texto do Diario do Rio de Janeiro) em 11 de outubro de 1874 [1]. A agencia postal “na Estação de Santa Fe de Macabu” foi criada em 16 de dezembro de 1875 [2].

Meu foco aqui é essa estação, mas trecho final até Campos foi entregue em 1875 e pode ser consultado na tabela Rede Ferroviária no topo da página.

Poucos meses depois, em dezembro de 1876, seria licitada a EF Barão de Araruama com o ambicioso projeto de construir uma ligação entre a E F Macaé e Campos e a E F Cantagalo através de uma linha que “partindo de um ponto de entroncamento entre as estações de Santana e Santa Fé fosse terminar na Serra de Madalena”. Para isso, foi organizada em março de 1878 a Companhia Estrada de Ferro Barão de Araruama que abriu o primeiro trecho até Conceição de Macabu em 19 de julho de 1878 [3]. A linha ficaria conhecida como “Ramal de Santa Maria Madalena”.

Mas onde seria esse “ponto” no qual seria construída a estação Entroncamento? Encontrei a resposta na imprensa da época, mais precisamente no diário O Cruzeiro que circulou no Rio somente no ano de 1878 [4].

O Cruzeiro, ed. 26/10/1878 (BN)

Na nota, lemos que a Cia. EF Macaé e Campos pleiteou em 1878 a transferência da estação Santa Fé de Macabu do km 49 para o 47, no que foi atendida por despacho do Presidente da Província em 26 de outubro. O local original da estação, às margens do Macabu, está marcado no detalhe do mapa Laemmert de 1892 apresentado abaixo (Também assinalado com nº5 no mapa moderno apresentado no topo da página).

Só resta agora determinar quando isso foi feito e se a estação foi renomeada “Entroncamento” ao ser transferida. Eis outras notas da imprensa para ilustrar a questão:

  • Matéria sobre a viagem do Imperador a Campos em 27/11/1878 relata que o “trem parou na estação de Santa Fé do Macabu para receber água” [5]. Este é talvez o último registro da estação nesse local, já que a Barão de Araruama foi inaugurada em 19 julho de 1879.
  • Matéria no Monitor Campista descrevendo a inauguração do trecho até Conceição de Macabu. Trecho que, segundo a matéria, tem 30km “até o entroncamento” [6].
  • Almanaque Administrativo do RJ de 1880 já listando a estação Entroncamento [7]

Com essas informações, concluo que a estação foi de fato renomeada quando de sua realocação em 1879. Mas a agencia postal só seria renomeada em 1886 [8].

Conclusões

Uma aparentemente simples questão de transferência de local de uma estação acabou por induzir vários pesquisadores a conclusões equivocadas. Mas, neste caso, vários fatores dificultaram o entendimento. Começo pela aparente inexistência de um povoado “Santa Fé” às margens do rio Macabu onde a estação original foi construída e que acabou incorporando o nome do rio. A indefinição do traçado da futura Linha de Santa Maria Madalena: quando este foi definido, tornou-se imperativo mover a estação para um local anterior da linha. Por último, a demora dos Correios em renomear a agencia postal, mesmo após ter sido transferida.

Falei dos pesquisadores, e gostaria de citar um dos mais conceituados, R. Koester, cujo verbete sobre “Entroncamento” reproduzo abaixo e que me motivou a reestudar esse tema [9]

Faço a ele os seguintes reparos

  • Ele cita a data 30.07.1869 como a de criação da agencia. De fato, ela se refere na verdade à homônima “Santa Fé” criada na estação da estação homônima no Ramal de Porto Novo do Cunha, inaugurada em 1869.
  • É certo que em 1869 ainda não havia EF naquelas paragens, já que a EF Macaé e Campos só foi inaugurada em 1874. A agencia, em 1875.

Como se nota, realmente o assunto não é fácil.

Carimbos de Santa Fé do Macabu

Uma curiosidade é o último carimbo da série, datado de 1887. O mês esta ilegível, mas poderia ser talvez dos primeiros meses, uma vez que a agencia foi renomeada no final de 1886.

Carimbos de Entroncamento

A estação foi renomeada “Quissamã” em nota da Leopoldina nos jornais em 14 de setembro de 1892. Os Correios não acompanharam essa mudança, pois já existia agencia postal com esse nome na sede desde 1855. Finalmente, em 5 de agosto de 1897, o nome da agencia foi alterado para Conde de Araruama [10], acompanhando a estação [11]. A agencia fechou por volta de 1985 [12] mas o prédio da estação resiste.

quissama-est-conde-de-araruama

Carimbos de Conde de Araruama

***

Notas e informações

[1] Diario do Rio de Janeiro edições de 05/08/74 e 14/10/74 respectivamente
[2] Nota da DGC de 16/12/1875 publicada em O Globo, ed. de 17/6
[3] A Formação das EF no Rio de Janeiro, Helio Suevo, 2004
[4] O Cruzeiro, ed. 26/10/1878
[5] O Cruzeiro, ed. 27/11/1878
[6] Monitor Campista, edição de 21 de julho de 1879.
[7] Almanaque Administrativo do RJ, edição de 1880.
[8] Monitor Campista, edição de 31 de dezembro de 1886
[9] Carimbologia do Brasil Clássico de R. Koester publicado pelo Clube Filatélico do Brasil.
[10] Diário Oficial da União
[11] Nota da EF Leopoldina na Gazeta de Noticias, ed. 6/8/1897
[12] agenciaspostais.com.br

OUTRAS CURIOSIDADES HISTÓRICAS DO MUNICÍPIO


O ENGENHO CENTRAL DE QUISSAMÃ

No início do século XIX a família  Carneiro da Silva, ligada ao clã do Visconde de Araruama, possuía sete engenhos de açúcar em fazendas na região, funcionando isoladamente. Os “engenhos centrais” foram uma evolução dessa indústria ao processar em uma usina central o produto de diversos fornecedores. O Engenho Central de Quissamã foi inaugurado em 12 de setembro de 1877 como o primeiro engenho cooperativado do Brasil, com a ilustre presença de Dom Pedro II e da Imperatriz.

Era a época da revolução Industrial e das estradas de ferro. A própria companhia se encarregou de construir em 1878 um ramal ferroviário de 35 km ligando Conde de Araruama ao Engenho e também a Quissamã. Diversos sub-ramais a conectavam com os maiores produtores. Chegaram a operar três locomotivas, das quais duas podem ainda ser vistas nas ruínas do engenho, desativado nos anos 1980. A imagem acima (do site mapadacachaca.com.br) mostra a torre do relógio e o lema da companhia.


A FAZENDA MANDIQUERA

Selecionei essa fazenda como representante da imponência das sedes das antigas propriedades (imagem: www.mapadecultura). O palacete ficava próximo à ferrovia e não distante do engenho central. Não por acaso foi erguido nessa mesma época,1875. Foi a residência de Bento Carneiro da Silva, Conde de Araruama, filho mais velho do 1º Visconde de Araruama, a cujo casamento compareceu também o Imperador. Está sem moradores desde os anos 1930.

 


© 2011-2021 www.agenciaspostais.com.br (atualizado agosto de 2021)

2 pensou em “Quissamã

  1. Precisava das imagens dos Carimbos Filatélicos, referentes aos 300 anos da chegada da Imagem de N.Sra do Destêrro em Quissamã, de 1993, ou 94 e o referente ao Aniversário de 10 anos de emancipação do Município. As duas peças são de minha autoria. Obrigado.
    Detalhe, o dos 10 anos atrasou na confecção e teve duração maior de circulação, sendo uma raridade Filatélica.

  2. Olá, Ayres. Entendo que vc procura carimbos comemorativos das datas que mencionou. Gostaria de poder atendê-lo, mas carimbos comemorativos não são o foco deste site, que são os carimbos postais de agencias. Sugiro que procure no Mercado Livre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *