São Gonçalo

Além de apresentar  o mapa atual de 2009 para localizar o município, em São Gonçalo registrei a localização das agencias sobre imagem Wikimapia para maior clareza. Também acrescentei os traçados históricos das duas ferrovias do município e assim se pode notar a aderência das agencias às linhas.

MUNICÍPIO DE SÃO GONÇALO

São Gonçalo foi fundado em 6 de abril de 1579 por Gonçalo Gonçalves. A origem do município está ligada à antiga Freguesia de São Gonçalo, criada a 10 de fevereiro de 1646 e subordinada a Niterói. Visando à facilidade de comunicação, a sede da sesmaria foi posteriormente transferida para as margens do rio Imboaçu, onde foi construída uma capela, monumento atualmente restaurado. Em 22 de setembro de 1890 a vila foi emancipada, desmembrada de Niterói. Por um curto período (28/05/1892 a 17/12/1892) a vila foi extinta, mas finalmente emancipada como município de São Gonçalo (Fonte IBGE).

AGÊNCIAS POSTAIS 

 

REDE FERROVIÁRIA

As tabelas de agencias ferroviárias estão apresentadas mais abaixo, junto à descrição das respectivas agencias.


HISTÓRIA, CURIOSIDADES E IMAGENS DAS AGÊNCIAS


Histórico dos distritos (Prefeitura)

  • São Gonçalo (1646)
  • Nossa Senhora da Conceição de Cordeiro (1890)
    • Cordeiro (1911)
    • Cordeiros (1938)
    • José Mariano (1938)
    • Ipiiba (1943)
  • São Sebastião do Itaipu (1911)
    • Itaipu (1938) transferido para o município de Niterói (1943)
  • Neves (1920)
  • Monjolo (1938)
  • Sete Pontes (1944)

São Gonçalo tem um grande número de agencias em vários bairros. Duas ferrovias o cruzaram e, como é habitual, às suas margens estiveram quase a metade delas. Por isso, achei que ficaria mais fácil contar suas histórias se eu as classificasse na sequência das estações, como segue:


O Ramal de Niterói, trecho da Linha do Cantagalo


A E F Cantagalo (Linha 35) havia inaugurado seu primeiro trecho entre Porto das Caixas e Cachoeiras de Macacu em 1860. Com a operação, ficou claro que o escoamento das mercadorias pelos portos fluviais do rio Macacu se tornou um gargalo. A ferrovia precisava de melhor conexão com a Corte. A construção contornando a Baía era ainda tecnicamente inviável (só seria construída em 1926), de modo que a ligação por mar via Niterói parecia a melhor solução. Para tanto, organizou-se a Cia Ferro Carril Niteroiense em 1871. A linha cruzou São Gonçalo em 1873. Recomendo, a quem tiver interesse, o excelente mapa da Wikimapia que registra com precisão seu antigo traçado e até o local de algumas das estações. Na sequência das estações que tiveram agencias postais, temos já em S. Gonçalo:


Porto Velho e Porto da Madama (locais 1 e 2 no mapa)

A estação inicial era Sant’Anna de Maruhy em Niteroi. A linha acompanhava o litoral e nesse trecho seguia paralela às atuais ruas Oliveira Botelho e Com. Ari Parreiras. A estação Porto do Velho consta da tabela de horários da EF Cantagalo em 1887 e a Porto da Madama, que ficava na atual Praça Madama, aparece no noticiário por volta de 1890. Ambas tiveram agencias postais criadas em 1895 e 1894 respectivamente. Não possuo imagens.

ERJ 1211 – Porto do Velho (1895-1963)

ERJ 1212 – Porto da Madama (1894-1897)
ERJ 1213 – Porto da Madama (reinstalada 1927-1948)

 


São Gonçalo (Local 3 no mapa)


Município rico em história, teve quase 60 agências cadastradas ao longo do tempo – das quais sete do Império, sendo a agência central “S. Gonçalo de Nitherohi” (sic) criada em 14.10.1852 conforme nota do DGC no Correio Mercantil de 15 de outubro. Delas, só três permanecem ativas, das quais uma é terceirizada.


A imagem da estação de S. Gonçalo é do site estacoesferroviarias.com.br, mas ela ainda pode ser vista no Google Street Map. Totalmente abandonada. São Gonçalo mereceria coisa melhor…

Voltando a falar das agencias, o Diario do Rio de Janeiro na edição de 12 de abril de 1874 traz a seguinte nota:

“O Illm. Sr. diretor geral manda fazer publico que no dia 13 do corrente em diante funccionarão as agencias de correio das estações de estrada de ferro de Nitherohy a Villa Nova nos logares denominados S. Gonçalo, Alcantara, Guaxindiba e Villa Nova (…) Ass. Terceira Secção.”

Fiquei em dúvida se esta seria uma segunda agência em S. Gonçalo já que a agencia original é de 1852, mas o GP de 1880 esclarece que a agencia local é a “Estação de S. Gonçalo”; assim depreendo que a agencia foi realocada na estação. Seu nome aparentemente continuou mantendo o aposto “de Niterói”, grafada Nitherohi nos carimbos dos anos 1890; não faço ideia de quando se perdeu o aposto no nome – o GP de 1931 foi o último a denominá-la “São Gonçalo de Niteroi”.

ERJ 1214 – São Gonçalo de Nitherohi (1852-1874)
ERJ 1215 – São Gonçalo de Nictheroy (1874 – )

Imagem dos carimbos da sede:


Alcântara (Local 4 no mapa)


O nome homenageia o imperador Dom Pedro de Alcântara. O bairro surgiu junto à estação de trem inaugurada em 1873 e se desenvolveu com a construção da rodovia estadual RJ-104 – construída na década de 40 no antigo traçado da Estrada Geral que fazia ligação das fazendas do extremo oeste do município à sede e aos antigos portos do município. Alcântara é importante centro comercial e sua agência, de 1874, reflete isso na quantidade de carimbos que possuo na coleção, a maior de todo o município.

ERJ 1216 – Alcântara (1874 – )


Guaxindiba (Local 5 no mapa)


Guaxindiba é a última estação em S. Gonçalo do trecho que corta o município. A localidade recebeu esse nome ainda no século XVII, por causa do rio homônimo que, em tupi, significa “planta aquática de beira-rio”, hoje praticamente extinta.

Um grande impulso na povoação veio com a instalação da Fábrica de Cimento Portland em 1933, a segunda do Brasil na época. A matéria-prima vinha da vizinha Cabuçu, no município de Itaboraí (ver). Entre as duas, seria construído um ramal ferroviário passando por Monjolo, distrito que mencionarei mais adiante. A fábrica e o ramal foram desativados nos anos 1980. Imagem do site estacoesferroviarias.com.br

ERJ 1217 – Guaxindiba (1874-1910)

 

Guaxindiba encerra a apresentação das estações do Ramal de Niteroi.


A Estrada de Ferro Maricá


O traçado de 1888

O desenvolvimento econômico da Região dos Lagos justificava a construção de uma ferrovia. Assim, em 23 de fevereiro de 1886 foi assinado o contrato para uma estrada de ferro entre São Gonçalo e Marica (Diario de Notícias 24/02). A tabela de horários publicada no Jornal do Comercio de 26 de novembro de 1888 (imagem ao lado) informa que o primeiro trecho foi inaugurado dia 25 entre as estações de Entroncamento e do Rio do Ouro (todo ele em território de S. Gonçalo). A nota também esclarece que a linha “está em correspondência com os trens da Leopoldina na linha do Cantagalo” (trecho que era conhecido por Ramal de Niterói).

A literatura ferroviária que consultei levanta dúvidas sobre a existência da estação Entroncamento. No entanto, além de possuir de uma agencia postal, há o relato detalhado sobre a viagem inaugural publicado na edição do dia 26 da Gazeta de Notícias que não deixa dúvidas, ao mencionar que “(…) o trem transportou os passageiros até a estação do Entroncamento, situada pouco além da do Alcantara da EF Leopoldina (…). Dahi partiu o trem em direção às estações de Santa Isabel e do Rio do Ouro (…)”

***

O traçado de 1899

Em 1894 a Cia. EF Maricá enfrentava dificuldades financeiras e foi adquirida pelo Banco Brasil e Londres assumindo o compromisso de construir uma linha em traçado próprio independente que ligasse uma nova estação à beira-mar à estação de Santa Isabel. No final das obras a linha foi revendida à Cia. Lavoura e Colonização de São Paulo que assumiu compromisso de estender a linha até Araruama. Em 1º de setembro de 1899, como se vê ao lado, a EF Maricá publica uma tabela de horários saindo do Largo do Paço no Rio para a nova estação de Neves de onde a linha chegava a Maricá.

 

Isso posto, passemos à descrição das estações e suas respectivas agencia postais.


Entroncamento de Maricá (Local 4a no mapa)


A estação “Entroncamento” é de 25.11.1888 e a agencia “Entroncamento de Maricá” foi criada em 8.10.1889 e instalada no mesmo prédio. Note-se o aposto “de Maricá” para diferenciá-la de agencias homônimas em outras linhas. A data de seu fechamento é 29.12.1896 (BP). Infelizmente não possuo imagens de carimbos.

ERJ 1218 – Entroncamento de Maricá (1889-1896)

 


Neves (Local 6 no mapa)



A origem do bairro remonta às terras do engenho Nossa Senhora das Neves. A partir do século XIX, o porto das Neves localizado num ponto estratégico próximo a Niterói e Rio de Janeiro, promovia um escoamento de toda a produção oriunda do município. Grandes fazendas à beira-mar compunham seu território.
Foto de neves ralph

Como vimos na introdução da EF Maricá, no final do século XIX foi construída no local a estação de Neves como ponto de partida da referida ferrovia, que faria conexão por mar ao Rio de Janeiro. A estação é de 1899 e a agencia postal de 1907. A agencia seria fechada em 1931 e só voltaria a aparecer na literatura em 1946.

ERJ 1219 – Neves (1907-1931)
ERJ 1220 – Neves (1946-2018)


Sete Pontes (Local 7 no mapa)


Durante a Guerra Brasil-Paraguai, o engenheiro francês François Hennebique ficou responsável por construir uma ponte no local. Ao se referir a ela usava a expressão francesa “cette pont”, que significa “esta ponte”. A população incorporou a forma fonética, passando assim a chamar o local de “Sete Pontes”. O local foi designado como 5º Distrito através do Decreto-Lei Estadual 1063, de 28 de janeiro de 1944. Vale destacar que a ponte construída, “Ponte Paraguai”, foi a primeira de concreto armado na América Latina (fonte: site prefeitura).

A localidade foi cruzada pela EF Marica em seu segundo traçado em 1899. A estação local só seria inaugurada em 30.12.1942 e consta que junto a ela ficavam as oficinas ferroviárias. A agencia foi criada por curto período em 1912 e reaparece brevemente nos GPs de 1976-78. Não possuo exemplares.

ERJ 1121 – Sete Pontes (1912-1914)
ERJ 1122 – Sete Pontes (1976-1978)


Rocha (Local 8 no mapa)


Rocha também esteve no novo traçado da EF Maricá, mas sua estação só foi inaugurada por volta de 1953. No local, há registros de três agencias, em diversas datas, mas sempre no mesmo endereço.

ERJ 1223 – PC Rocha (1963)
ERJ 1224 – ACF Rocha (1996-2013)
ERJ 1224A – AGF Praça do Rocha (2013-2015)


Mutondo (Local 9 no mapa)


Da mesma forma que Rocha, só teve estação em 1953 e agencias de breve existência.

ERJ 1218 – AC Nilo Peçanha (1985-2004)
ERJ 1219 – ACF Portinari (1993-1996)
ERJ 1219A – ACF Mutondo (1995)

***

Outras duas estações valem ser mencionadas para seguir o traçado, embora não tenham tido agencias postais no local. São elas Raul Veiga e Pachecos, ambas assinaladas no mapa de 1953. Raul Veiga em especial foi estação construída no traçado original de 1888 onde chegava o desvio proveniente da estação Entroncamento, antiga inicial da EF Marica no Ramal de Niteroi e, posterormente, também incluída no novo traçado.

A estação ainda podia ser vista  no local há poucos anos, uma travessa em frente à Praça Chico Mendes, mas nem mesmo ele evitou que ela fosse engolida pela expansão urbana.

***

O trecho a seguir é o das estações comuns aos dois traçados


Sacramento de Cordeiro (Local 10 no mapa)


A localidade de Sacramento foi cruzada pela EF Marica em 1888, ano em que a estação “Sacramento” foi inaugurada. A agencia postal “Sacramento de Cordeiro” foi criada em 1907, mesmo ano da agencia na estação inicial de Neves; note o aposto “de Cordeiro” para diferenciação e que remete à importante e vizinha freguesia sobre a qual falarei a seguir.

ERJ 1226 – Sacramento do Cordeiro (1907-1969)


Santa Isabel de Maricá / Cordeiro / Ipiiba (Local 11 no mapa)


O mapa Laemmert de 1866 ao lado mostra a importância da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Cordeiro criada pela Lei 311 de 4 de abril de 1844 e subordinada a Niterói. No mesmo ato de formação do município de São Gonçalo em 22 de setembro de 1890 ela foi também desmembrada e passou a constituir o distrito de mesmo nome. O topônimo é grafado Cordeiro ou Cordeiros até ser renomeado José Mariano em 1913.

Por último, através do Decreto- Lei Estadual 1.056, de 31 de dezembro de 1943, assume o nome atual de Ipiíba, que se tornará o segundo distrito através do Decreto-Lei Estadual 1.063, de 28 de janeiro de 1944. Ipihyba, em tupi ype-yba, com a variante Ipeúva, significa pé de ipê.

Mapa e informações: Wikimapia Openstreepmap.org (2021)


Santa Isabel é bairro vizinho a Cordeiro, no qual a EF Maricá inaugurou em 25.11.1888 a estação “Santa Isabel” cujo local está assinalado no mapa acima; a grafia é a que consta nas tabelas de horário da EF (com “s” ou “z” indistintamente). Já a agência “Santa Isabel de Maricá” foi criada em 8 de outubro de 1889, e instalada na estação (a data é mencionada no Relatório dos Correios desse ano e também em nota na Gazeta de Noticias do dia 9 – imagens acima).

ERJ 1227 – Santa Isabel de Maricá (1889-1913)
ERJ 1228 – Jose Mariano (1913-1943)
ERJ 1229 – Ipiiba (1943-1985)
ERJ 1230 – Santa Isabel (1985-2000)


Paciência / Rio do Ouro / Virajaba (Local 12 no mapa)



Paciência era a principal comunidade da região e possuía agencia postal desde 1880, conforme nos informa o “Relatório das Agencias do Império” que a qualifica como freguesia. O mapa postal de 1888 a registra como “povoado” e indica o roteiro da mala postal por estafeta proveniente de Baldeador em Niterói. Apesar de desenhada no mapa postal, a linha da EF Maricá ainda não registrava a estação. Esta foi inaugurada como parada em 25.11.1888, em local um pouco distante da povoação, com o nome de “Rio do Ouro”.
A estação prosperou e em 18.06.1925 o Boletim Postal registra a troca do nome da agencia para “Estação Paciência” renomeada em seguida “Rio do Ouro” como nos informa o Indicador Postal de 1927 – o que nos sugere que ela tenha sido para lá realocada. Em 1946 há registro de agente postal em “Virajaba”, nome que o GP de 1957 confirma e que seria seu nome até o final, cuja última referência é em 1969. Vale lembrar que a estação também trocou de nome e foi desativada nos anos 1960.

NOTA: Há três agencias Paciencia no estado do Rio. Veja matéria ao pé desta página.

ERJ 1231 – Paciencia (1880-1925)
ERJ 1232 – Paciencia, estação (1925-1927)
ERJ 1233 – Rio do Ouro (1927-1946)
ERJ 1234 – Virajaba (1946-1969)

Não possuo imagens de nenhum dos quatro.

***

Aqui encerramos a apresentação das agencias em estação ferroviária e passamos a descrever as agencias criadas fora dos traçados ferroviários.

***


Ilha das Flores (Local 20 no mapa)


Povoamento do Solo

O Presidente da República, através do Decreto 6479 de 16 de maio de 1907 criou a Diretoria Geral do Serviço de Povoamento, com o objetivo de promover a introdução de imigrantes e prover a eles os serviços de recepção, desembarque, hospedagem, registro e expedição (…). Originalmente localizada no Rio, a agência postal que funcionava nessa repartição (MRJ 216 – Povoamento do Solo, criada em 16 de julho de 1907 – veja no DF) é transferida para a Ilha das Flores em 8 de março de 1910 (mas ainda continuaria funcionando em paralelo naquele local até 1914…).

Ilha das Flores

A ilha, hoje integrada ao continente por aterros, é próxima ao bairro de Neves que possuía convenientes recursos logísticos, tais como porto e ferrovia. Foi o local onde se instalou em 1883 a Hospedaria dos Imigrantes então subordinada ao Ministério da Agricultura. Neves. Mais tarde serviu de presídio durante a Revolução Constitucionalista de 1932 e continuou ativa até 1966. As hospedarias de imigrantes recebiam os estrangeiros para uma quarentena, antes de serem destinados às colônias e fazendas (existiram várias delas, nos estados do RJ, SP e ES, entre outros). Na hospedaria, funcionou uma agência postal em três períodos.
A ilha hoje é base dos Fuzileiros Navais, mas há um projeto para transformá-la em um museu a céu aberto que contará a história dos mais de 300 mil estrangeiros que por lá passaram entre 1877 e 1966. Não lhes possuo imagens.

ERJ 1235 – Ilha das Flores (1910-1912)
ERJ 1236 – Ilha das Flores (1932-1936)
ERJ 1237 – Ilha das Flores (1948-1963)


Venda da Cruz (Local 21 no mapa)


A Fazenda Paraíso, propriedade do Conde de Beaurepaire, é considerada um marco da fundação do bairro; ali nasceram seus filhos, em especial o Visconde Henrique Pedro Carlos de Beaurepaire Rohan. Uma das versões que justificam o nome conferido ao bairro fala de uma grande cruz que foi incrustada no Morro do Cruzeiro (site da prefeitura).

ERJ 1138 – Venda da Cruz (1914-1996)
ERJ 1138A – ACF Venda da Cruz (1993-1996)


Porto da Pedra (Local 22 no mapa)


Para ser sincero, o motivo para incluir essa agência foi constatar sua inclusão no trabalho de R. Koester. Diz o verbete: ”Pelo que conseguimos apurar (a agencia) ficou na área de São Gonçalo, mas nenhum dos portos da região se identifica com esse nome.”
Há duas estranhezas: primeira, não há referência a uma agencia; segunda, não há nada de misterioso no local. Continua sendo um bairro de S. Gonçalo que possui a Escola de Samba Unidos do Porto da Pedra que chegou a desfilar no grupo principal na Marquês de Sapucaí (imagem).
Continuo aguardando notícias da agencia postal pois não encontrei menção em nenhum documento postal. Mas é local histórico, como mostra esse trecho da Wikipedia do Porto das Neves: “O escoamento dos produtos era compartilhado por outros portos que ficavam na orla periférica do distrito: Porto da Madama, Porto da Vala, Porto do Gradim, Porto Novo, Porto da Ponte, Porto da Pedra, Porto do Velho e Porto da Lira”. Meus grifos estão nos portos que possuíram agencias.

ERJ 1239 – Porto da Pedra (ND)


Agencias mais recentes, sendo a maioria terceirizada


ERJ 1240 – São Gonçalo Shopping (2011-2016) (Local 22 no mapa)

ERJ 1241 – ACF Parada 40 (1996 e 2013) (Local 23 no mapa) –
ERJ 1241A – AGF Francisco Portela – (2013- )

ERJ 1242 – Barro Vermelho (1924-1931) (Local 24 no mapa)
ERJ 1243 – Castro (1931-1963)
ERJ 1244 – ACF Pio Borges (1996-2012)

ERJ 1245 – ACF Mutuá) (1996-2012) (Local 25 no mapa
ERJ 1245A – AGF Dezoito do Forte (2012-2013)

ERJ 1246 – ACF Trindade (1996-2004) (Local 26 no mapa)
ERJ 1246A – ACF Nova Cidade (1996)

ERJ 1247 – Santa Luzia (1993-2004) (Local 27 no mapa)
ERJ 1248 – ACF Jardim Catarina (1993-2000)
ERJ 1249 – Tribobó (1925-1969) (Local 28 no mapa)

ERJ 1250 – ACF Arsenal (1996-2012) (Local 29 no mapa)

ERJ 1251 – Monjolo (1948-1985) (Local 30 no mapa)

ERJ 1252 – Nilo Peçanha (1995-2004) (Local 3 no mapa)
ERJ 1253 – ACF Portinari (1993-1996)

ERJ 1254 – ACF Shopping Alcantara Sul (1996-2013) (Local 4 no mapa)

ERJ 1255 – ACS Praça Bandeirantes (2000-2001) (Local 4 no mapa)

Duas coisas curiosas sobre a Praça Bandeirantes: a primeira, ter um carimbo sobre fragmento datado de 6 de junho de 2000 – como ela não consta dos GPs de 2000 e 2002, deve operado por poucos meses. A segunda, o carimbo ACS – Agencia de Correio Satélite, um modelo raro de agencia surgida com o início do processo de terceirização dos Correios em 1991 (Ver menu História dos Correios).

ERJ 1256 – Prodat (1992) (Local 6 no mapa)
ERJ 1257 – ACF Hiper Rio Manilha (1996-2004)


Unidades Operacionais


ERJ 1258 – CDD Alcantara
ERJ 1259 – CDD Nilo Peçanha


ERJ 1260 – CDD São Gonçalo


ERJ 1261 – CDD Antonina
ERJ 1262 – CDD Tribobó
ERJ 1262A – CEE São Gonçalo
ERJ 1262B – CTE São Gonçalo


Notas e Informações


1. A agencia Paciencia

Existiram no estado quatro agencias com esse nome das quais três em estação ferroviária. Além das descritas em S. Gonçalo, há outras duas:
ERJ 381 – estação Paciencia inaugurada em 1879 na EF Barão de Araruama entre Conde de Araruama e Conceição de Macabu. Em 1944 foi renomeada Macabuzinho.

MRJ 593 – estação Paciencia inaugurada em 1897 no ramal de Mangaratiba no então Distrito Federal entre Campo Grande e Santa Cruz. A agencia homônima foi criada na estação em 1909.

***

2. O site da prefeitura de S. Gonçalo tem um interessante capítulo sobre história que pode ser visitado em: https://servicos.pmsg.rj.gov.br/historia.php


©2011-2021 agenciaspostais.com.br ® (atualizado em novembro de 2021)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *